Domingo, 19 de Maio de 2019
SOLIDARIEDADE

'Papai Noel Lutador' distribui presentes há nove anos para crianças da periferia

Lutador Frank Franco entrega mais de 200 brinquedos para crianças de bairros carentes no dia 25 de dezembro. "Todos nós temos problema, mas é possível superar. Faz parte da luta da vida", afirmou



pn1.JPG
Frank Franco entrega presentes durante o Natal há 9 anos (Fotos: Clóvis Miranda)
25/12/2016 às 18:00

Ao invés do tradicional traje vermelho, ele veste um kimono de jiu-jitsu. O trenó também deu lugar a um automóvel de quatro portas e a barba branca é bem menor comparada ao que já estamos habituados. O “Papai Noel Lutador” é uma versão diferente criada por Frank Franco para o maior símbolo do Natal, e assim como o Papai Noel, ele tem os mesmos objetivos: espalhar alegria, presentear e ver o sorriso de felicidade estampado no rosto de cada criança.

Há nove anos, o lutador de 47 anos se dedica a entregar presentes para crianças da periferia da cidade. Lotado com mais de 200 brinquedos e kits de enxoval, o carro de Frank percorre bairros como o Grande Vitória, Zumbi, São José, Puraquequara, Jorge Teixeira, Cidade de Deus, e faz visitas a maternidades e até mesmo micro-ônibus. Neste domingo (25), a ação começou por volta de 12h e só deve terminar quando todos os presentes forem entregues para as crianças de sorte.

Segundo Frank, o gesto de distribuir presentes no Natal é uma retribuição pela saúde da filha. “Minha filha Sofia nasceu no Dia das Crianças e Nossa Senhora Aparecida, no dia 12 de outubro. É em homenagem a ela e uma retribuição porque Deus me proporcionou que ela nascesse com saúde. É a minha primeira filha e eu só pedi saúde, mais nada”, disse ele.

Além da luta, a qual Frank se dedica há 20 anos e acumula diversos títulos e medalhas, como o bicampeonato sulamericano de jiu-jitsu, o lutador é formado em Direito e divide o seu tempo entre a função de servidor do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e coordenador do projeto “Sementinha do Bem”. A iniciativa acontece por meio da Academia Adam Monteiro, localizada no bairro da União, Zona Centro-Sul de Manaus, onde modalidades como judô, boxe, MMA e jiu-jitsu são ensinadas para jovens de baixa renda.

O contato com crianças e adolescentes da periferia é ainda maior no dia 25 de dezembro, durante a longa, porém valorosa entrega dos brinquedos. Boa parte dos presentes é comprada por ele, e outros são arrecadados em doações organizadas em redes sociais. A escolha dos locais de distribuição, segundo ele, reflete “onde o coração toca” e tem um significado que remete a sua infância.

“Seria a minha felicidade se eu fosse criança, porque certeza que é muito difícil alguém chegar na rua e dar pra você um presente. Você viu aqueles três moleques catando latinha? Aquilo vai fazer parte da minha história. Eles estavam catando latinha não porque queriam, mas alguém pediu pra eles levarem pra casa. Então cheguei e dei um jogo de futebol porque eu tenho certeza que eles vão jogar os três juntos”, disse o lutador.

Ainda segundo o lutador, a inspiração para o traje do “Papai Noel Lutador” é uma ideia inusitada que surgiu para ser diferente de outros atletas, que geralmente se vestem de Papai Noel para fazer doações. De kimono e sandálias, ele declara: fazer bondade é fácil e barato para quem deseja do fundo do coração.

“É só o cara imaginar que ele tem um problema e ele vai resolver o problema com bondade. Não precisa ganhar muito, não precisa ter muito dinheiro. Todos nós temos problema, mas é possível superar. Faz parte da luta e da vida”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.