Publicidade
Manaus
INFRAESTRUTURA

Para 77,9% dos habitantes de Manaus o asfaltamento da cidade é ruim/ péssimo

Em pesquisa encomendada pelo jornal A CRÍTICA e realizada pela empresa Projeta, apenas 6,4% o consideram o asfaltamento bom (veja quadro) 14/05/2017 às 05:00 - Atualizado em 17/05/2017 às 10:07
Show buracos066
(Foto: Aguilar Abecassis)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Os problemas de asfaltamento na cidade de Manaus são tão frequentes que essa dor de cabeça é “democrática”, atingindo não apenas as áreas consideradas mais carentes da cidade, mas até mesmo bairros nobres e de classe média-alta, como o Vieiralves, na Zona Centro-Sul, ou de classe média, como o  São Jorge, na Zona Oeste. Pesquisa encomendada pelo jornal A CRÍTICA e  realizada pela empresa Projeta no mês passado mostra que 77,9% da população de Manaus avalia o asfaltamento da cidade como ruim ou péssimo. Apenas 6,4% o consideram bom (veja quadro).

O asfalto também foi apontado como o terceiro problema mais grave da cidade pelos entrevistados: 24% apontaram os buracos nas vias, que só “perderam” para a saúde (33,4%) e a segurança (62,1%) no ranking geral.

O maior porcentual de queixas quanto à qualidade do asfaltamento está na Zona Centro-Oeste, onde 40% dos moradores reclamam deste problema. Na Zona Sul o índice é de 27%. E na Zona Norte, chega a 20% .

‘Democracia'
Nem o Vieiralves, na Zona Centro-Sul, bairro conhecido por seus empreendimentos e residenciais luxuosos, escapa dos buracos nas suas vias: na rua Rio Jutaí, dois buracos incomodam os transeuntes e motoristas e ambos completaram 3 meses sem qualquer ação dos poderes públicos, dizem os moradores entrevistados por A CRÍTICA. “Um buraco como esse é um perigo a mais para pessoas como eu que andam de motos”, conta a universitária  Milena Gomes, 19, que estava com sua motocicleta estacionada próximo ao buraco.

Próximo dali, no cruzamento com a rua Doutor Thomas, um afundamento no asfalto aborrece a pessoas como o comerciante Jorge Ney Nogueira, 58, que tem um empreendimento em frente ao referido local. “Uma vez caiu um carro à noite aí. Colocamos entulho para tentar que o tráfego fluísse legal, mas de vez em quando ele ‘volta’. A prefeitura poderia nos dar mais apoio. Eu pago IPTU aqui e não é nada barato por aqui ser área nobre. Mas nós não estamos nadando em dinheiro”, desabafa ele.

Serviço mal feito
Na rua Rio Guamá, na divisa entre Vieiralves e Nossa Senhora das Graças, um buraco também já completou três meses e nada de providências. “Quase tivemos acidentes. Um carro para passar por cima deu contramão e quase bate outro. A prefeitura deveria resolver essa questão pois em dias de eleição eles saem para pedir votos na rua, e agora não estão nem aí. O asfalto está muito feio. É serviço mal feito”, diz o garçom João Victor.

No São Jorge, na travessa João Avelino, parte da via apresenta muitas irregularidades no asfalto, reclama o casal Marcos, 32, e Vanessa Soares, 25, que costumam passar pelo local diariamente para levar e buscar o filho, Isaac, 9, na escola. “A situação é complicada, pois interfere tanto no trânsito de pedestres quanto de motoristas. Muitas pessoas têm prejuízos mecânicos. Isso é o retrato do descaso das autoridades em relação à infraestrutura das nossas vias de trânsito”, conta ele.

Em números

24%

de um universo de 800 pessoas entrevistadas na pesquisa Projeta reclamaram do asfalto na cidade. A “campeã” das reclamações foi a temática Segurança, onde 62,1% das pessoas consultadas disseram ter essa preocupação, segundo matéria publicada no último domingo em A CRÍTICA.

Segurança campeã das reclamações

A temática da segurança foi a campeã das reclamações na cidade,  segundo a pesquisa junto à empresa Projeta encomendada por A CRÍTICA. O demonstrativo mostra que 59% da população da cidade de Manaus já foi assaltada pelo menos uma vez na vida.

Blog

Cleuda Rodrigues, técnica de enfermagem

Sou motorista e já sofri várias vezes com problemas referentes aos buracos existentes na cidade. Aqui mesmo no bairro Bela Vista, onde eu trabalho, há três meses, quando eu saía de um aniversário, e em meio à iluminação ruim eu caí em um buraco. E amassou meu aro e o pneu estourou. Nessa semana, na Cidade Nova, quando eu estava fazendo um retorno o meu carro caiu novamente em um buraco perto da sarjeta. Minha sorte é que, como estava próximo a um campinho, alguns rapazes prontamente me ajudaram, senão eu teria ficado lá aguardando o guincho. Dessa vez amassou meu carro. Ou seja: só prejuízos.

Seminf informa 2.175 vias recuperadas
A assessoria  de comunicação da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que, nos últimos anos, durante a atual administração, empregou-se força-tarefa, com todos os 16 distritos de obras da órgão e mais de 500 homens, na qual a Prefeitura conseguiu atender, aproximadamente, 10 mil vias.

De janeiro deste ano até agora a Seminf garante ter recuperado, mesmo com o período das chuvas, cerca de 2.175 vias em 53 bairros.

“A infraestrutura ganhou um destaque especial na agenda de serviços da Prefeitura. Imprimindo um novo ritmo de trabalho e levando infraestrutura total para áreas que até então não haviam recebido qualquer atenção em anos anteriores, novas vias foram abertas. Uma delas é a avenida Campos Sales, que interliga Monte das Oliveiras ao Santa Etelvina, na Zona Norte. A via foi ampliada e recebeu infraestrutura completa com rede de drenagem, meio-fio, sarjetas e calçadas, incluindo ciclovia, iluminação a LED e arborização”, explicou a Seminf.

Os grandes corredores viários - que concentram o maior fluxo de veículos e, principalmente, a frota do transporte coletivo - também foram contemplados, informa a Seminf.

“Em 2015, mais de 17 km de vias foram totalmente recapeadas recebendo tratamento de base e duas novas camadas de asfalto. As avenidas Silves, Leonardo Malcher, Ramos Ferreira, Tarumã, e as ruas Tapajós, 10 de Julho e Alexandre Amorim foram as primeiras a serem totalmente recapeadas pela Prefeitura no último ano”, informou o órgão.

Publicidade
Publicidade