Publicidade
Manaus
SEM TAMPA

Para chamar atenção da Prefeitura de Manaus, bueiro vira ‘poço dos desejos’

A frentista Anne Elias Costa, 26, informou que o bueiro no Cidade Nova está sem proteção há pelos menos quatro meses 07/11/2017 às 05:44
Show bueiro 123
Foto: Euzivaldo Queiroz
Silane Souza Manaus (AM)

Um bueiro sem tampa, na esquina da rua 193 com a rua João Câmara, no Núcleo 16, bairro Cidade Nova, Zona Norte, foi transformado em um “poço dos desejos” por moradores, após quatro meses à espera de uma solução por parte da Prefeitura de Manaus. A estrutura, que tem uma cobertura metálica e é feita de pneus e madeira, foi colocada no local por um morador do bairro, na tentativa de chamar a atenção do poder público para o problema e também para sinalizá-lo e evitar acidentes.

De acordo com a frentista Anne Elias Costa, 26, o bueiro está sem proteção há pelos menos quatro meses. “Vieram arrumar a rua, mas deixaram o bueiro sem tampa e ficou muito perigoso tanto para quem desce do ônibus, porque tem uma parada bem na frente, como para as crianças que passam pela rua. Por isso, o morador veio e improvisou essa tampa. Isso faz mais de um mês”, afirmou.

Para a vendedora Elzilene Albuquerque de Souza, 35, a tampa improvisada é a única forma de evitar acidentes graves. Porém, mesmo assim, ainda causa um risco enorme. A solução seria que o bueiro fosse tampada pela prefeitura.  “É perigoso para quem passa de moto ou carro. Se o motorista não tiver prestando muita atenção pode cair. Também é um perigo para idosos e crianças”, disse.  

No ano passado, os bueiros sem tampas provocaram a morte de três crianças em diferentes regiões da cidade. A primeira vítima foi André Pereira Crescenço, 6, em abril, no bairro Novo Aleixo (antigo Mutirão), na Zona Norte, a segunda foi Guilherme Guerreiro, 7, em maio, no bairro Alvorada 2, Zona Centro-Oeste, e a terceira foi Gustavo Silva Araújo, 7, em outubro, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte.

Reparos

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que irá enviar uma equipe à rua 193 para verificar a situação e produzir a tampa para o bueiro. E ressaltou que, nos oito primeiros meses do ano, mais de 3 mil bueiros foram recuperados em Manaus.

A pasta informou, ainda, que é necessário que a população colabore com a preservação, pois além de roubarem as tampas para vender o ferro, outros 90% do material retirado dos igarapés são lixos domésticos jogados incorretamente. “Por isso, é importante que, além da limpeza por parte do poder público, a população também faça a sua parte, evitando transtornos maiores”, diz a nota.

TAC após mortes

A morte de três crianças que caíram em bueiros abertos, no ano passado, fez com que a Secretaria Municipal de Infraestrutura firmasse um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Amazonas (MP), comprometendo-se a vedar 2.500 bueiros espalhados pela cidade. O número foi fixado após levantamento realizado pelo Departamento de Manutenção e Infraestrutura Urbana. O descumprimento do TAC resultaria em multa de R$ 500 por dia de atraso. A Seminf alega que cumpriu o TAC.

Publicidade
Publicidade