Publicidade
Manaus
SEM RECURSOS

Estudantes buscam arrecadar R$ 100 mil para competição internacional de biologia

Evento de genética e biologia acontece em Boston, no final de outubro. Equipe amazonense usará valor para produção do estudo e projeto, além de inscrições e passagens 26/03/2018 às 17:49
Show whatsapp image 2018 03 26 at 13.23.26
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Para participar do renomado International Genetically Engineered Machine Competition (iGem), um grupo de estudantes do Amazonas busca apoio externo para chegar a Boston, nos EUA, em outubro deste ano. A estimativa de arrecadação chega a R$ 100 mil.

O evento é a principal competição da área de Biologia Sintética do planeta, com participações de todo o mundo. O Amazonas já foi representado algumas vezes, com direito a medalhas no torneio. Para 2018, ainda com o projeto em andamento, os estudantes pedem ajuda financeira e buscam patrocinadores para dar sequência à realização dos estudos. Neste ano, o foco é a expressão de proteínas.

O grupo de estudantes é formado de diversas áreas no Amazonas. Eles têm, em sua composição, alunos de biologia, física, farmácia, engenharia de software e design, entre outros. Atualmente a equipe está reduzida, mas com vagas em aberto. São estudantes da Uninorte e Ufam.

A mesma equipe, ao menos a base dela – atualmente- surgiu em meados de 2013, a partir da iniciativa de um professor que veio de fora e tinha a intenção de montar uma equipe em Manaus. Nesse ano o grupo venceu a categoria “Melhor Apresentação” do iGem. Em 2014, 2016 e 2017, representantes foram ao evento – cada vez com o grupo mais reduzido, por falta de verba.

“A gente quer ir à competição não só para competir. Hoje estamos com poucas pessoas na equipe, mas queremos apresentar nosso trabalho. Estamos buscando verba, e também participantes para a equipe. É difícil porque, na nossa estimativa, eu diria, por alto, que precisamos de R$ 100 mil. Isso para ter os produtos e materiais para produzir o projeto, mas valores de inscrição no evento – que são muito altos -, além de passagens, hospedagem e custos externos” explica Maria Cecília, integrante da equipe, de 21 anos.

Os R$ 100 mil se justificam porque, só a inscrição do projeto custa U$ 5 mil. Cada participante, à parte, custa R$ 2,5 mil. Ainda contam passagem e hospedagem. Fora os custos para dar sequência ao projeto, com a compra de materiais.

Publicidade
Publicidade