Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
WhatsApp_Image_2018-12-21_at_12.53.00_F67B4F16-D757-4041-B05B-EAD19DA6D0E6.jpeg
publicidade
publicidade

NA GARAGEM

Paralisação dos rodoviários atinge 94% da frota de ônibus, afirma Sinetram

O descontentamento dos trabalhadores é em relação ao pagamento do 13º Salário, que ainda não foi efetuado


21/12/2018 às 14:43

Apenas 6% da frota de ônibus do transporte público de Manaus está operando na tarde desta sexta-feira (21). A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). 

De acordo com a assessoria do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), a paralisação "caminha para 100%". Os veículos do transporte alternativo continuam circulando normamlmente.

Desde essa quinta-feira (20), há pequenas paralisações da categoria, mas até hoje pela manhã elas eram isoladas. O descontentamento dos funcionários é em relação ao pagamento do 13º Salário, que não foi efetuado. O prazo legal para o pagamento total do vencimento extra era até ontem, mas nem a primeira nem a segunda parcela foram pagas, segundo os trabalhadores.

Por volta de 13h, quando a paralisação iniciou, no Terminal 2, no bairro Cachoeirinha, zona Sul de Manaus, a aglomeração de pessoas já era grande. Os ônibus que passam pelo local estão com placas de 'Dever Cumprido' no vidro e não pegam passageiros, seguindo para as garagens. Na Avenida André Araújo, as pessoas se aglomeram nas paradas de ônibus sem que os veículos passem. Os que passam, já vão vazios e não estão recolhendo passageiros.

publicidade
publicidade
Câmara Municipal deve criar comissão para defender Zona Franca de Manaus
Prefeitura começa a demolir imóveis para obras na avenida Constantino Nery
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.