Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
Manaus

Paralisação dos trabalhadores de empresas de ônibus em Manaus passa despercebida

Na tarde do último sábado (5), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou o pedido feito pelo Sinetram e estabeleceu que 70% da frota operasse normalmente durante a greve



1.jpg Ainda segundo o Sinetram, as empresas estão rodando com 70% da frota
09/12/2015 às 09:59

A paralisação dos trabalhadores de empresas de ônibus que atendem o transporte público de Manaus, marcada para essa segunda-feira (7), está sendo considerada tranquila, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Manaus (Sinetram). O órgão informou que até o momento nenhum transtorno foi causado à população.

Ainda segundo o Sinetram, as empresas estão rodando com 70% da frota. “A princípio, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus está cumprindo a liminar da Justiça, a qual determinou que 70% da frota operasse normalmente nesta segunda”, disse em nota.



O Sinetram salientou ainda que, hoje, as empresas já iriam trabalhar com 70% da frota tendo em vista que é véspera de feriado e ponto facultativo para os funcionários do Estado e da Prefeitura. Logo, até o momento não foi verificado nenhum transtorno para os usuários do transporte coletivo.

Prefetura rebate

A Prefeitura de Manaus esclareceu, por meio de nota enviada à imprensa, que a frota operante do transporte coletivo desta segunda-feira é a mesma que circula em dias de sábado, em virtude do ponto facultativo, quando normalmente ocorre a diminuição da quantidade de passageiros e consequentemente reduz-se em 30% o número de ônibus.

"No planejamento operacional diário das linhas, a quantidade de ônibus é dimensionada de acordo com o número de passageiros. Dessa forma, existem frotas definidas para os dias úteis, sábados e domingos. Em pontos facultativos, circulam em Manaus a mesma quantidade de veículos definida para os sábados, enquanto que nos feriados, a frota em operação é a igual a de domingos", conclui o comunicado.


Em relação ao cumprimento da Lei nº 1.890/2014, alterada pela Lei nº 1.973/2015, que dispõe sobre a concessão de subsídio para custeio do sistema de transporte público coletivo, a Prefeitura informou que o último repasse, referente ao mês de outubro, foi realizado por meio da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef) ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) no dia 11 de novembro.

Decisão obriga 70% dos ônibus a rodarem

Na tarde do último sábado (5), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou o pedido feito pelo Sinetram e estabeleceu que 70% da frota operasse normalmente, caso o Sindicato dos Rodoviários tentasse fechar as garagens das empresas de ônibus hoje. Em caso de descumprimento da decisão judicial, o sindicato dos trabalhadores poderia ser multado em até R$ 200 mil por dia.

Ainda de acordo com a decisão do TRT, o sindicato dos rodoviários deveria abster-se de praticar quaisquer atos que viessem ferir os direitos possessórios das empresas, principalmente o cerceamento de livre acesso às garagens das mesmas, sob multa diária de R$ 50 mil. Por fim, estabeleceu o uso de forças policiais para cumprir a liminar, caso houvesse a necessidade.

A reportagem tentou contato com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus, mas até o momento não obteve sucesso. Um dos motivos da paralisação dos profissionais seria a questão salarial da categoria.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.