Publicidade
Manaus
NESTA SEXTA

Paralisação prejudica 530 mil usuários do transporte coletivo em Manaus, diz Sinetram

Apesar da decisão judicial que previa funcionamento de 70% da frota, rodoviários paralisam 80% e geram prejuízo de R$ 1,4 milhão, afirma sindicato 28/04/2017 às 17:48
Show onibus022
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
acritica.com Manaus

Os usuários do transporte coletivo foram os maiores prejudicados pela paralisação dos rodoviários, descumprindo ordem judicial expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (Amazonas e Roraima). Na manhã desta sexta-feira (28), 493 coletivos foram obrigados pelos rodoviários a permanecer nas garagens. Nas ruas e terminais, foram paralisados outros 388 coletivos, totalizando 881 ônibus, o que equivale aproximadamente a 80% da frota.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), cerca de 530 mil usuários foram prejudicados pela paralisação, gerando um prejuízo de R$ 1,4 milhão. A princípio, estava programado o retorno ao funcionamento normal no segundo turno, a partir das 14h. Mas às 15h30, o Centro foi fechado novamente.

O diretor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, assegurou que vai informar a Justiça sobre o que aconteceu nesta sexta-feira. “Existe uma liminar em vigor. Ordem judicial se cumpre. O respeito às decisões do Poder Judiciário é um dos pilares da democracia”, ressaltou Fernando.

O Sinetram informa ainda que uma nova avaliação será feita ainda na noite desta sexta.

Decisão previa 70%
Através de ordem judicial, o presidente em exercício do TRT, Desembargador Jorge Álvaro Marques Guedes, determinava que o Sindicato dos Rodoviários operasse em, pelo menos, 70% nos horários de pico. Em caso de descumprimento, a decisão previa que o Sindicato dos Rodoviários pagasse uma multa de R$ 10 mil por hora de paralisação, a reverter em favor do Fundo de Amparo ao Trabalhador ou a entidade filantrópica a ser definida.

*Com informações da assessoria.

Publicidade
Publicidade