Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
TRANSTORNO

Parece que nem tem ônibus, diz eleitora sobre gratuidade dos coletivos

Eleitores reclamaram de demora de até 30 minutos para pegar o coletivo. Promessa é de que frota seria de 100%, mas há garagens lotadas



WhatsApp_Image_2018-10-07_at_10.23.13_BD7FE3B4-F9F6-4F7C-9FB8-FDB68126175B.jpeg
07/10/2018 às 10:41

Paradas lotadas e muita espera pelo transporte coletivo é o que a reportagem do A Crítica pode constatar em toda a extensão da avenida Passarinho, via principal que corta o bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte de Manaus. Também há registros de paradas lotadas de usuários do transporte coletivo no bairro Dom Pedro, na Zona Oeste de Manaus, e São José, na Zona Leste. 

A expectativa dos eleitores é que, com a aprovação da gratuidade da tarifa do transporte coletivo, houvesse uma farta oferta de ônibus. uma vez que a promessa é de que 100% da frota seria colocada nas ruas. Mas não foi isso que a população sentiu. 



A dona de casa Iraci de Souza Pinho, 73, que estava em desses pontos de parada, reclamou da espera de quase 30 minutos pela linha de ônibus que a levará para casa, na comunidade Monte Pascoal, situada dentro do mesmo bairro em que ela vota.

"Dia de domingo já demora a passar ônibus, hoje então, parece que nem tem. Pessoal diz que é de graça, mas nada é assim. Mesmo sabendo que demorar muito para voltar para casa, fiz questão de votar e só vou deixar de fazer isso quando tiver bem velhinha", afirma Iraci.

Algumas pessoas que estavam na mesma parada que a idosa, relataram que já estavam aguardando por ônibus há quase 40 minutos. O problema pode ser visto também em outros bairros da Zona Norte, o maior colégio eleitoral da capital amazonense.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.