Publicidade
Manaus
ASSALTOS

Parentes de pacientes da FCecon sofrem com constantes assaltos

Segundo relatos, a unidade, situada no bairro Planalto, zona Centro-oeste de Manaus, tem sido alvo de assaltos no estacionamento e nas proximidades 28/04/2017 às 05:00 - Atualizado em 28/04/2017 às 14:15
Show 1022919
(Foto: Antonio Lima)
Rita Ferreira Manaus (AM)

Familiares de pacientes da Fundação Centro de Oncologia do Amazonas (FCecon) denunciam que estão sofrendo com a ação de bandidos. Segundo relatos, a unidade, situada no bairro Planalto, zona Centro-oeste de Manaus, tem sido alvo de assaltos no estacionamento e nas proximidades.

A agente de portaria Daniela de Freitas, 32, sofreu um assalto junto com o irmão no estacionamento da Fundação na última terça-feira (25). Ela vai frequentemente acompanhar a mãe que faz tratamento médico no local.

“Estávamos eu e meu irmão no carro, quando fomos abordados pelo assaltante que exigiu os nossos celulares. Meu irmão tinha um fone de R$ 300 que havia comprado recentemente que também foi levado”, contou ao MANAUS HOJE. 

Daniela disse ainda que tentou pedir ajuda aos vigilantes que estavam na guarita da unidade, mas os mesmos entraram e fecharam as portas sem prestar ajuda os irmãos que sofriam com a ação dos bandidos.

No dia anterior, segunda-feira (24), a mulher sofreu uma tentativa de assalto no mesmo local. “Era bem cedo, por volta das 5h30, eu estava indo para o meu carro e abri o porta-malas para pegar umas coisas, quando vi um motociclista suspeito se aproximando. Para fugir, eu entrei no carro e o atropelei”, relatou.

Outra paciente que preferiu não ter o nome divulgado contou que também sofreu um assalto nas proximidades do local quando saiu para comprar alimentos. “Tem assalto direto aqui, tanto no estacionamento quanto nas redondezas. É muito inseguro aqui”, contou.

Segundo ela, dois médicos e uma enfermeira já relataram que também foram assaltados na unidade. “Só tem vigilantes em alguns pontos”.

Segurança particular

A direção da FCecon informou que trabalha com empresa especializada em segurança e que o monitoramento das principais entradas da unidade hospitalar ocorre 24 horas por dia. “O principal objetivo é inibir a ação de bandidos e resguardar a segurança e integridade dos pacientes e funcionários. Informa, ainda, que não tem conhecimento da ocorrência relatada à reportagem, na última segunda-feira”, informava a nota.

Publicidade
Publicidade