Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
Manaus

Parte da vista da Praia da Ponta Negra é escondida por tapume há mais de um ano

A medida é parte de uma obra de contenção da erosão que “engoliu” parte do barranco, logo após a inauguração da segunda etapa do complexo turístico



1.jpg Parte do trecho interditado por conta da erosão deve ser concluída neste domingo, mas obras seguem em outros pontos
03/05/2015 às 11:20

Um dos pontos turísticos mais belos de Manaus é a Ponta Negra, que atrai turistas de todas as partes do mundo e manauenses de todas as zonas da cidade. A busca é por diversão e lazer por meio do contato com as árvores, a praia e o rio Negro. Mas boa parte dessa beleza está escondida por um tapume que, há mais de um ano, isola um trecho da orla.

A medida é parte de uma obra de contenção da erosão que “engoliu” parte do barranco, logo após a inauguração da segunda etapa do complexo turístico. Não bastasse o problema “geológico”, oito árvores do calçadão foram cortadas, reduzindo as sombras para os frequentadores.

A “contenção de desbarrancamento”, como a intervenção é chamada pelos especialistas, tira o “encanto” da vista, mas é necessária para que os frequentadores possam contemplar o pôr do sol em segurança, explicou o técnico em Edificações Francisco Perdigão, que atua na obra. O procedimento realizado naquele trecho foi o mesmo adotado ao logo de toda a orla da Ponta Negra, disse ele.

“Foram cinco meses construíndo rip-rap com sacos com areia e cimento, além de canaletas que jogam a água para os dissipadores, que são escadas que levam a água de volta para o rio, recuperando todo o barranco. O maior trabalho é retirar toda a camada vegetal, montar outra camada com o cimento e fazer a diferença de nível com o barranco e a construção das canaletas”, detalhou.

Os tapumes, de acordo com ele, são para a segurança de pedestres e trabalhadores. De acordo com Perdigão, a obra de contenção das erosões da primeira etapa será concluída neste domingo. Na próxima semana iniciam as obras na segunda etapa. Ao todo, mais de 315 metros de orla serão recuperados.

A promessa é comemorada por quem frequenta o espaço, principalmente no final da tarde, para ver o pôr do sol, quando os barrancos ao longo de toda a Ponta Negra são pontos estratégicos para admiradores da natureza, fotógrafos amadores e profissionais, grupos de amigos e até casais de namorados, que aproveitam o visual para tirar fotos e namorar. “É revigorante poder contemplar o rio daqui da beira depois de uma caminhada ou durante um encontro com os amigos. Um privilégio que precisa ser mantido”, disse a estudante Luana Marques, 26.

Árvores


Sobre as árvores cortadas no calçadão, o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano ( Implurb), informou que fez uma solicitação à Secretaria Municipal de Meio ambiente e sustentabilidade (Semmas) para que equipe técnica faça avaliação das árvores na área, para então definir quais espécies devem ser plantadas no lugar.


Receba Novidades


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.