Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
A 1 ANO DO PLEITO

Partidos já começam a se articular para eleições municipais de 2020

Lideranças de esquerda se reuniram em 'bloco de resistência' e nomes como Marcos Rotta e Amazonino Mendes voltam à cena



pmn_C58C1A30-AB36-49F4-BE6C-7941EDC9F694.JPG Foto: Divulgação
14/10/2019 às 07:30

A pouco menos de um ano das eleições municipais, que acontecem em 4 de outubro de 2020, as movimentações nos partidos são percebidas. As alianças e coligações desenham, aos poucos, o cenário político que vem se instaurando ao longo dos meses como preparatório para a disputa política do ano que vem. Para alguns, ainda é cedo falar sobre o assunto, mas para outros, os passos já estão direcionados.

A esquerda tem se articulado em oposição aos governos estadual e federal. Na semana passada, líderes e representantes de partidos progressistas e de esquerda se reuniram na sede do Partido da Mobilização Nacional (PMN), anunciando um bloco de resistência formado pelos partidos PMN, PSB, PCdoB, PT, PDT e PSol. 

O presidente do PSOL em Manaus, Mario Covas, destacou que os olhares dessa união devem estar direcionados a propor melhorias em diversas áreas para a população, e que um plano municipal deve ser elaborado em breve, além de anunciar quatro nomes para a pré-candidatura do executivo municipal.

“O objetivo do Bloco é unir os partidos de esquerda no Amazonas em torno das lutas contra a destruição de direitos promovidas nos âmbitos nacional e estadual. Estamos realizando encontros temáticos com especialistas para tratar das áreas de atuação municipal, tais como educação, saúde, moradia popular e já subsidiando a elaboração de um plano de governo municipal. Já contamos internamente com quatro pré-candidatos a prefeito:  o médico perito, Cleverson Redivo, o professor Jonas Araújo,  o professor universitário Luiz Fernando Santos, e o ativista sindical Herbert Amazonas”, resumiu.

Cleverson Redivo disputou uma vaga para a Assembleia Legislativa do Amazonas nas eleições de 2018, pelo PR, que fazia coligação com o partido do qual na época o ex-governador  Amazonino Mendes era filiado, PDT. Chegou, ainda ao cargo de secretário da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES) no começo do mandato do governador Wilson Lima (PSC), mas pediu exoneração menos de um mês após a nomeação.   Jonas Araújo foi candidato a vereador também em 2018, pelo PSOL, mas não se elegeu. Luiz Fernando Santos concorreu a uma vaga para o Senado naquele ano. Hebert Amazonas também é conhecido pelos manauaras, disputou oito eleições, sendo três para prefeito e cinco para governador, tendo perdido todas elas.

O presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra disse que após algumas convenções já realizadas, o partido está empenhado em unir forças com o bloco e deve indicar nomes ao cargo da prefeitura, um em especial já conhecido pelos manauaras. 

“Já fizemos algumas reuniões e pretendemos fazer um amplo ato para discutir alternativas para Manaus. Nessa frente, certamente haverá muitos nomes que se colocarão como prefeito. O partido também colocará à disposição nomes, dentre os quais o da Senadora Vanessa, como alternativa. Mas defendemos um candidato único da frente de oposição”.

Direita com Bolsonaro

Alinhados aos discursos do presidente Jair Bolsonaro (PSL), partidos que compõem a direita política do Amazonas anunciam os primeiros passos para as eleições de 2020.  O Democracia Cristã (DC) deve lançar o candidato a prefeito e apresentar a chapa completa de vereadores nos dias 29 e 30 de novembro durante convenção nacional que acontece em Manaus. 

Questionado sobre possíveis nomes para a disputa, o presidente do diretório municipal da sigla, Sirlam Cohen, citou o atual vereador Chico Preto (sem partido) como pré-candidato a prefeito.

“Nosso grupo, liderado pelo vereador Chico Preto, deixou o PMN pela porta da frente, em virtude da opção Nacional do partido em se aliar à esquerda. Ficamos dois meses avaliando a melhor opção alinhada com a posição centro direita. No nosso entendimento, o melhor nome para disputar a eleição majoritária de 2020 é, sem dúvida, o vereador Chico Preto. Em breve teremos a conclusão desse processo”, disse.

Com relação às alianças entre os partidos, Sirlam disse que serão discutidas no decorrer do processo eleitoral mas com claro viés centro-direita.  Outro nome cotado para a prefeitura de Manaus é o empresário Romero Reis (PSL). 

 “Para ser candidato e prefeito de Manaus precisa ter bagagem, conteúdo e liderança. Manaus possui uma série de ações para serem implementadas para inseri-la entre as melhores cidades brasileiras. Sou uma pessoa experiente, conheço a problemática da cidade. Não descarto a possibilidade de participar, mas para isso vou seguir o rito eleitoral”, disse Romero.
O partido de Wilson Lima (PSC) ainda não indicou nomes para a disputa, mas segundo o Líder do PSC na ALE-AM, o deputado Doutor Gomes, o partido está observando e avaliando, todas  as movimentações para no momento certo  tomar a sua decisão.

“O PSC participará do próximo processo eleitoral, porém, ainda é cedo para definir de qual forma será essa participação, ou seja, se terá candidato  próprio ou se apoiará um candidato  de consenso do arco de aliança  de sustentação  do governo  na ALE. Mas, o PSC não ficará de braços cruzados”, comentou. 

No mês passado, o presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, esteve em Manaus e lançou a pré-candidatura do vice-prefeito Marcos Rotta a prefeito de Manaus em 2020, em evento que reuniu lideranças do partido no Amazonas, filiados e até outro prefeiturável, o deputado federal Marcelo Ramos (PL).

Amazonino volta às redes

O ex-governador do Amazonas, que já havia comunicado nas redes sociais seu desligamento do PDT, partido do qual fazia parte desde 2011, apareceu em um vídeo no Facebook discursando sobre os impactos ambientais na Amazônia e se posicionou em defesa do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

“Rendo com todo o meu respeito, minhas homenagens ao Exército Brasileiro, que pensa com muita seriedade na defesa da nossa soberania. É fundamental que se pense: não dá mais para confrontar o mundo. O presidente esboçou uma reação positiva para defender a nossa soberania. Isso nós temos que tirar o chapéu. Ele está enfrentando o problema”, discursou.

Com o vídeo, ex-governador deixa um mistério no ar, segundo os comentários dos internautas, que questionam se ele irá disputar as próximas eleições.  No trecho final, Amazonino sugere ainda uma conversa futura com os membros da página.

Não é cedo discutir candidatura política para 2020, a última eleição para a prefeitura foi em 2016. A disputa foi entre Artur  Neto e Marcelo Ramos, o que pode ser entendido em uma disputa de pessoas com mesmas ideias, pertencentes ao mesmo grupo político.

Movimentação já sendo desenhada, Por João Alexandre Monteiro, Cientista Social

A movimentação e as alianças de blocos partidários para disputar a prefeitura já pode ser organizada e quem sabe, disputar isso em prévias partidárias de quem pode representar melhor cada partido político.
A aliança dos partidos de esquerda  é necessária para uma contraposição de eleitorado ao atual prefeito. Nem todo mundo votou no atual prefeito e há ideias diferentes de conceber a cidade, a participação popular. Questões de planejamento urbano de Manaus, moradia, habitação, transporte, saúde perpassam por esses grupos políticos diferentes. Não há unanimidade em qualquer bloco partidário.

A reorganização e aliança dos partidos de esquerda  vem num processo maior de como a esquerda institucional está se organizando politicamente para a eleição de 2020 e de  2022.



News whatsapp image 2019 05 27 at 11.54.48 8d32dbdd 4f80 4c51 b627 e3873c2e56de
Repórter
Cientista Social, Escritora e Jornalista. Repórter de A Crítica, apaixonada pela arte de contar histórias.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.