Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
Foto: Euzivaldo Queiroz
publicidade
publicidade

GREVE

Passageiros sofrem com falta de ônibus nas paradas e terminais de Manaus

Rodoviários paralisaram atividades hoje (29) pedindo reajuste salarial. Segundo Sinetram, a partir das 9h30 cerca de 50% da frota já circulava nas ruas


29/05/2018 às 09:57

Passageiros sofreram com falta de ônibus nas paradas e terminais de Manaus na manhã desta terça-feira (29), durante a greve dos rodoviários, que pedem reajuste salarial. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), a partir das 9h30 de hoje cerca de 50% dos coletivos já circulavam nas ruas.

A manicure Marinalda Aguiar, 56, falou que não foi trabalhar porque acreditava que não estava rodando nenhum ônibus. “Fiquei esperando mais de uma hora e o ônibus não passou. Agora não vou mais para o trabalho. Mas concordo com a paralisação deles. Se é por melhorias tem que lutar mesmo”, disse. 

A estudante Tamires Marques, de 16 anos, estranhou o movimento na estação das linhas 442, 042, 418, no conjunto Oswaldo Frota, bairro Cidade Nova, Zona Norte. “Nem dia de sábado e domingo a estação fica vazia assim. É complicado, pois querendo ou não a população é muito prejudicada”, disse.

publicidade

Nas primeiras horas da manhã, conforme o Sinetram, apenas 30% da frota circulava em Manaus, com aproximadamente de 400 coletivos. Às 9h30, cerca de 50% dos coletivos rodavam nas ruas, uma estimativa de 600 ônibus. Atualmente o transporte coletivo em Manaus funciona com nove empresas, 229 linhas e 1,3 mil ônibus.

Decisão

O TRT-11 acatou no último sábado (26) o pedido feito pelo Sinetram para que os rodoviários não realizassem greve no transporte coletivo nesta terça-feira (29). A categoria exige reajuste salarial com base na convenção de 2018/2019.

Na decisão, a desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho da 11º Região, Ruth Barbosa Sampaio, determinou em liminar que, em caso de descumprimento, o Sindicato dos Rodoviários fosse multado em R$ 30 mil por hora de paralisação, além da configuração do crime de desobediência. Por fim, a magistrada determinou o uso de forças policiais para cumprir a liminar.

publicidade
publicidade
Rodoviários ameaçam realizar nova greve nos próximos dias em Manaus
Representantes temem demora do governo na análise sobre perdas salariais
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.