Sábado, 20 de Julho de 2019
ZONA CENTRO-OESTE

Passarela da Torquato Tapajós vai mudar de lugar após incidente com escadaria

Informação foi divulgada pelo prefeito de Manaus que ainda “condenou” estabelecimentos construídos no entorno da passarela



neto_71982145-38D4-495E-B9AD-624A3B5D0E37.JPG Foto: Sandro Pereira/ free lancer
13/02/2019 às 21:34

A passarela da Avenida Torquato Tapajós, na Zona Centro-Oeste de Manaus, que parcialmente desabou nesta quarta-feira (13), será retirada do local, pois, segundo o prefeito de Manaus, Artur Neto, foi construída em área inapropriada.

“Foi feita perto do igarapé. Vamos verificar com a SMTU [Superintendência Municipal de Transportes Urbanos] se ela fica mais pra frente ou mais pra trás. Aqui ela não fica”, afirmou o responsável pelo poder executivo municipal.

O prefeito afirmou ainda que os três empreendimentos construídos no entorno da passarela são responsáveis pelo incidente. Segundo Artur, o posto de combustíveis que fica ao lado cometeu crime ambiental.

“O igarapé foi estreitado por três fatores. Este posto cometeu, claramente, um crime ambiental e será responsabilizado por isso, seja perante a Semmas [Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade], que é quem considera o direito da licença para funcionar, seja pelo Ministério Público, ao qual eu recorrerei já amanhã. Tem uma farmácia, a qual os fundos dão para o igarapé. E nós temos ainda um galpão e uma oficina para máquinas pesadas”, disse Artur.

Obras

O titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Kelton Aguiar, destacou que os maquinários na Torquato Tapajós irão retirar os entulhos que caíram no igarapé localizado ao lado da estrutura afetada.

“Nós vamos abrir, tirar este entulho que está obstruindo a vazão das águas do igarapé e reconstruir o talude de contenção. Porém, eu afirmo que isso é em virtude da contenção particular. Isso é uma área particular. Estamos agindo, se não corre o risco de danificar o espaço público. Mas o problema foi o afunilamento por essas construções particulares”, disse Kelton, acrescentando que as obras devem durar de 15 dias a 1 mês devido ao período chuvoso.

Artur, por sua vez, não informou quando a passarela deve ser interditada. Ainda na noite de hoje muitos pedestres continuavam utilizando o trecho da passarela que não foi afetado.  A estrutura conta no momento com duas escadarias, sendo uma na parte central e outra no sentido bairro/Centro. Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) realizam paradas no trânsito para que os pedestres, que estão do lado Centro/bairro, possam atravessar e ter acesso à escadaria central, conseguindo chegar ao lado da via no sentido bairro/Centro.

 ‘Alfinetada’ de Artur

O prefeito de Manaus informou que a passarela foi construída em 2006 pelo então governador Eduardo Braga. Para Artur, Braga agiu errado ao construir a estrutura por se tratar de um serviço que seria de competência do prefeito da capital na época.

“Ele [Braga] não deveria ter construído passarela nenhuma porque era governador. Isso é trabalho do prefeito. Talvez, aquela velha rivalidade medíocre entre prefeito e governador, tenha o feito perseguir o prefeito, que era o Serafim Corrêa. Aí fez a passarela e deu no que deu”, disse.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.