Publicidade
Manaus
PASSARELA

Passarela que caiu parcialmente na Torquato será toda demolida no final de semana

Anúncio foi feito pelo prefeito Arthur Neto, que também denunciou crime ambiental como principal causa do desabamento da estrutura na av. Torquato Tapajós. Ontem, durante chuva, um igarapé transbordou e afetou a passarela 14/02/2019 às 12:20 - Atualizado em 14/02/2019 às 12:55
Show d995b30c 4d7f 4390 a449 f94698e64fd3 de04b7b5 227d 4242 b156 aab5c31a7a1a
Foto: Euzivaldo Queiroz
Álik Menezes Manaus (AM)

A passarela que caiu ontem parcialmente na avenida Torquato Tapajós, na Zona Norte de Manaus, após um igarapé transbordar durante forte chuva, será totalmente demolida no final de semana. O anúncio foi feito hoje (14) pelo prefeito da cidade, Arthur Neto, que também denunciou um crime ambiental como principal causa do desabamento. O prefeito visitou hoje o canteiro de obras no local, que iniciaram com a limpeza do córrego.

Ontem, a escadaria da passarela do lado Centro/bairro desabou depois de o igarapé ter transbordado na chuva e a força da água ter atingido a estrutura. A água do igarapé também tinha invadido um trecho da avenida Torquato Tapajós e afetado o trânsito.

Na manhã de hoje o prefeito Arthur Neto responsabilizou um empresário, dono de um posto de gasolina e de uma oficina mecânica no local, como causador do desabamento da passarela. Segundo o prefeito, o empresário fez ilegalmente obras no local, expandindo os terrenos do posto e da oficina em direção ao igarapé, invadindo e estreitando aquela área do córrego e contribuindo para o transbordamento das águas durante a forte chuva.

O prefeito afirmou que uma sucessão de erros causou o desabamento da escadaria da passarela, que por pouco não fez vítimas fatais. “Uma sucessão de erros levou a isso. O primeiro erro foi terem, em 1997 ou 1998, sei lá, terem construído essa passarela pertinho praticamente em cima de um igarapé, isso foi um erro técnico grave. O segundo erro foi esse posto ter avançado além daquilo que lhe era permitido e ter feito uma cortina de concreto, estreitando o igarapé”, disse.

A passarela, segundo o prefeito, deve ser demolida no fim de semana e outra será construída na Torquato Tapajós, em outro local ainda a ser definido pelos técnicos. Durante o período de obras, a faixa exclusiva para ônibus, ambulância, viaturas e taxis, permanece liberada para todos os tipos de veículos, tanto na Torquato Tapajós como na avenida Constantino Nery. Na manhã desta quinta (14), os trabalhos da equipe de obras focaram na desobstrução do igarapé e na retirada de entulhos para facilitar a passagem das águas.

O empresário Gurgel Barreto, de 55 anos, que é o dono do posto de gasolina e da oficina mecânica, disse que o prefeito está sendo “leviano” ao querer responsabilizá-lo e disse que a culpa é exclusivamente da administração municipal. O posto de gasolina, segundo o empresário, foi criado em 1985 e a última licença ambiental do estabelecimento é de 1998.

“Há 40 anos não fazem obras aqui para limpar esse igarapé. O arrendatário do posto fez uma contenção com sacos de areia e concreto para que o barranco não desmoronasse, mas o problema é maior. O prefeito diz que eu sou o culpado, mas aquela obra em baixo da avenida foi feita de forma errada. Há passagem de água é muito estreita para o volume de água que passa por lá em dias de chuva. É lógico que algo iria acontecer cedo ou tarde”, disse.

Publicidade
Publicidade