Publicidade
Manaus
Manaus

Passeios públicos de Manaus viram alvo de vândalos após descaso e o abandono

Enquanto o Mestre Chico está à sombra do abandono, no Bilhares, mudanças na administração diminuíram vandalismos e depredações 06/09/2015 às 16:44
Show 1
Repassado recentemente à administração da prefeitura, Largo Mestre Chico está cheio lixo e sem segurança
kelly melo Manaus (AM)

Encontrar uma praça para levar a família, passear, namorar ou mesmo praticar atividade física até existe em Manaus, mas algumas delas, embora estejam em zonas privilegiadas, estão à mercê da ação do tempo e do vandalismo.

O Largo Mestre Chico, no Centro, é um exemplo do descaso. Localizado ao lado da ponte Benjamin Constant, entre a avenida 7 de Setembro e o Educandos, o complexo está tomado por moradores de rua e usuários de drogas. Quem frequenta o espaço, ao mesmo tempo, teme pela segurança e lamenta a falta de organização. “Aqui está cheio de mato, sujeira e os banheiros estão quebrados. Essa praça está esquecida e ninguém faz nada”, disse a doméstica Lígia Regina Oliveira, 37, moradora do Prosamim Mestre Chico.

Para ela, falta mais interesse do poder público em deixar a praça mais agradável. “Tem muitas pessoas que preferem ir para o parque Jerffeson Péres porque lá é fechado e tem segurança. Mas eu ainda opto por aqui por ser mais próximo da minha da casa. Seria interessante que esse local fosse revitalizado, já que muitas pessoas vêm de longe para cá”, afirmou ela.

Em toda a extensão do complexo, os visitantes esbarram em lixo, mau cheiro e as estruturas estão danificadas. Até o coreto que fica ao centro do Largo foi tomado pelos moradores de rua que fazem do local a sua moradia. Outros, se aglomeram embaixo da ponte, onde fixam seus dormitórios, usam drogas e amedrontam quem passa pelo local.

Sem segurança

O igarapé Mestre Chico também está cheio de lixo. Prato cheio para a reclamação dos comerciantes. “Esse espaço não tem gerência nem segurança. De vez em quando alguém é roubado aqui e nós trabalhamos com medo. Antes, até as noivas vinham fazer fotos aqui, mas nunca mais vimos isso acontecer”, afirma Abel Cavalcante Santos, 42, permissionário de uma das três lanchonetes em funcionamento.

Mudança no Bilhares

No Parque dos Bilhares, na Zona Centro-Sul, o vandalismo também já foi um desafio. Segundo o administrador, Paulo Victor Duarte, as ocorrências diminuíram com algumas restrições, como o controle da entrada de alunos fardados. “Nós observamos que a maioria das ocorrências eram envolvendo alunos. Por isso, das 8h às 17h, adolescentes fardados não podem entrar. Também fechamos uma entrada nos fundos, por onde entravam meliantes”, afirmou.

O caminhoneiro aposentado João Ferreira Lopes, 70, aproveita o aparelhamento da academia ao ar livre para manter a boa forma. Segundo ele, todos os dias vai à praça para se exercitar. “Venho aqui todos os dias e acho que esse parque é um dos melhores. A gente sente o vento e fica tranquilo porque o ambiente também é seguro”, disse.

Cartão postal na Zona Oeste agrada turista

Inaugurado no mês de abril deste ano, o parque Rio Negro é um dos mais belos cartões postais da capital. Situado na orla do São Raimundo, Zona Oeste, o espaço se tornou um dos pontos turísticos bastante visitado. O aposentado Cláudio José de Moura, 72, veio do Rio de Janeiro e se diz impressionado com a beleza do parque, que fica de frente para o rio Negro. “Eu sou apaixonado pelo mar, mas ver um rio como esse tem o seu valor. Quando chegar no Rio, vou recomendar esse passeio para os meus amigos”, garantiu o turista.

A dona de casa Alda Prestes, 53, se sente privilegiada por ser vizinha do complexo. Segundo ela, a construção do local beneficiou os moradores pois, além de melhorar a “vista”, o Rio Negro trouxe mais segurança e valorizou os imóveis próximos. “Aí em baixo era cheio de palafita. Hoje em dia abro a minha janela e me deparo com uma realidade completamente diferente. Espero que continue sempre assim”, ressaltou.

É da prefeitura

Em junho, a administração do Largo Mestre Chico foi transferida à prefeitura, no entanto, há duas semanas a responsabilidade foi oficializada. Assim como ele, os parques Desembargador Paulo Jacó, Kako Caminha, Igarapé do Quarenta, Igarapé das Freiras e a ponte Benjamim Constant passaram para o município e de acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), todos eles terão mutirões de limpeza.

Em números

1.000 pessoas passam pelo Parque dos Bilhares, Chapada, a cada final de semana. De segunda à sexta, a média de visitante é de 850 pessoas, que procuram o espaço, principalmente, para praticar esportes e passeios em famílias.

Publicidade
Publicidade