Publicidade
Manaus
COVARDIA

Pastores são presos por estuprar menina de 9 anos no município de Caapiranga

De acordo com a polícia, a pastora ofereceu um tablet e uma bicicleta para que a criança limpasse a casa. Ao chegar ao local, a menina foi atacada pelo pastor 10/10/2018 às 17:42 - Atualizado em 11/10/2018 às 11:09
Show caapiranga0 ce644211 37a4 4cc4 993f 00c598a4a1dc
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus

Um casal de pastores  identificados como Raimundo de Souza Pena, 68, e Edna Castro da Silva, 58,foram presos nesta quarta-feira (10), em Caapiranga, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva por por estupro de vulnerável. Eles são investigados pelo estupro de uma criança, do sexo feminino, de nove anos de idade. O crime ocorreu em julho de 2017, naquele município, distante 134 quilômetros em linha reta da capital.

De acordo com o gestor da 32ª Distrito Integrado de Polícia (DIP), o investigador de Polícia Civil Francival Galvão, as ordens judiciais em nome dos infratores foram expedidas no dia 9 de outubro deste ano, pelo juiz Geildson de Souza Lima, da Comarca de Caapiranga. Conforme Galvão, o casal foi preso na casa onde morava, em um dos bairros daquele município. “As investigações em torno do caso foram iniciadas após o recebimento de delação anônima, comunicando o estupro. O denunciante encontrou um cartão de memória para celular e, ao analisar os arquivos contidos no objeto, achou vídeos e imagens do estupro. Com o apoio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), conseguimos ouvir a criança e, a partir do relato da vítima, identificamos os infratores”, informou Galvão.

O investigador explicou que o crime aconteceu no dia 24 de julho de 2017. No dia do delito, Edna, que é pastora da igreja evangélica que a criança frequenta, convidou a menina para limpar a casa dela, oferecendo em troca  um tablet e uma bicicleta. A vítima aceitou e, em determinado momento, acabou ficando apenas com Raimundo no imóvel. O pastor aproveitou a ocasião para consumar o estupro.  

Raimundo e Edna foram indiciados por estupro de vulnerável, indução a satisfazer a lascívia de outrem e corrupção de menores. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial, eles irão permanecer à disposição da Justiça, na carceragem da delegacia, que funciona como unidade prisional em Caapiranga.

Publicidade
Publicidade