Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
Manaus

Patrimônio histórico, nova Santa Casa de Misericórdia pode ser instalada no Distrito Industrial

Interventores do hospital, que será especializado no tratamento de câncer infanto-juvenil, negociam com a Superintendência da Zona Franca de Manaus a cessão de um terreno no Distrito Industrial



1.gif Na segunda-feira (29), o governo anunciou que vai desapropriar o histórico prédio da rua Dez de Julho para ali construir uma unidade hospitalar dedicada ao tratamento do câncer em crianças e adolescentes
01/10/2014 às 09:06

A Santa Casa de Misericórdia de Manaus (SCM), instalada há mais de 130 anos na rua Dez de Julho, no Centro, Zona Sul de Manaus, vai mudar de endereço. A Comissão de Interventores está negociando com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) a doação de um terreno no Distrito Industrial para que seja construído o novo hospital da Santa Casa. O projeto arquitetônico, do renomado Severiano Mário Porto, está pronto desde a década de 70, mas ainda não há data para o início das obras.

Isso vai depender da incorporação do atual prédio pelo Governo do Estado, cujo decreto de desapropriação foi assinado na segunda-feira. Durante 15 dias, técnicos do Estado e os interventores da Santa Casa reunirão as informações e documentação necessárias para que o prédio centenário passe a fazer parte da estrutura estadual de saúde e se transforme em um hospital para crianças e jovens com câncer, conforme anunciado.

Um dos interventores da Santa Casa de Misericórdia, Claudivan Carvalho explicou que somente após a conclusão do processo de desapropriação e as dívidas pagas – totalizando R$ 7,5 milhões, e, deste montante, R$ 2,4 milhões são referentes ao passivo trabalhista -, é que a construção da nova estrutura vai ser iniciada. “Quando resolvermos a desapropriação e sanarmos as dívidas, pois queremos equilibrar o caixa primeiro, iremos colocar o projeto em prática”, explicou Carvalho.

Crise

A Santa Casa de Misericórdia de Manaus fechou as portas em dezembro de 2004 por conta de problemas financeiros. No auge do seu funcionamento, o hospital atendia mais de 17 mil pessoas por ano, nas especialistas de geriatria, ginecologia/obstetrícia, pediatria, cirurgia, cardiologia, clínica médica, urgência e emergência, neurologia, psicologia, psiquiatria, odontologia, dentre outras.

O hospital oferecia ainda a  melhor estrutura cirúrgica da cidade, na época, pois contava com sete salas de cirurgia totalmente equipadas. “Esta instituição tem um legado e o nosso grande anseio era dar a destinação ao patrimônio histórico da rua Dez de Julho”, acrescentou Carvalho.

Alternativas

Para colocar em prática o projeto de construção do novo hospital, a Comissão Interventora da Santa Casa de Misericórdia de Manaus analisa várias alternativas visando a captação de recursos necessários.

O BNDES, por exemplo, oferece uma linha de crédito específico para essas instituições de saúde; há também um projeto que envolve a Lotomania, elaborado pelo Ministério da Saúde, que destina parte dos recursos do jogo às unidades da Santa Casa de Misericórdia no Brasil.

Outra possibilidade é a criação de um projeto onde os servidores públicos municipais e estaduais doassem à SCM os “centavos” de seus salários. Parece pouco, mas não é. A Santa Casa de Misericórdia de Colina, no interior de São Paulo, recebe recursos a partir desse tipo de doação. “Esta unidade deu a partida em um programa que vem dando certo. A cidade possui quase 20 mil habitantes, e a Santa Casa arrecada, por mês, R$ 186 mil somente com os centavos doados e unidade de Real”, explicou um dos interventores da SCM, Claudivan Carvalho.

Seguindo essa ideia, também se pretende o envolvimento dos funcionários do Polo Industrial de Manaus e mais a doação de R$ 1, por meio das contas de energia elétrica. A arrecadação estimada seria de R$ 1 milhão.

“São vários programas de captação de recursos e que têm dado resultado positivo para as unidades da Santa Casa no País. O nosso hospital poderia ser construído com a participação direta da sociedade amazonense”, acrescentou o interventor, ressaltando que a transparência na aplicação desses recursos também é fundamental para que a população continue ajudando a instituição; o cidadão poderá acompanhar as aplicações no portal da instituição www.santacasamanaus.com.br.

Projeto visionário

Apesar de ter sido elaborado em 1978, o projeto arquitetônico do novo prédio da Santa Casa de Misericórdia de Manaus traz uma proposta de arquitetura hospitalar que ainda se encaixa nos padrões atuais, de acordo com a Comissão Interventora da instituição, revelando o talento e a capacidade visionária do arquiteto e urbanista Severiano Mário Porto, também conhecido como o “Arquiteto da Amazônia”.

Atualidade

A união da temática da sustentabilidade, a observação do trabalho de ribeirinhos, e as inovações arquitetônicas, marcam o trabalho de Severiano Mário Porto. “Serão quatro andares, mas o projeto não perdeu a modernidade. O arquiteto concebeu uma ideia muito além do seu tempo”, disse Claudivan Carvalho.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.