Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019
CUSTO POLÍTICO

Pedro Elias vai deixar CDPM 2 para cumprir prisão domiciliar nesta sexta (2), diz Seap

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que o alvará de soltura do ex-secretário chegou às 18h02 e, por isso, foi postergada para amanhã a sua liberação do CDPM 2



pedro_elias_123.JPG Foto: Divulgação
01/02/2018 às 19:59

Após 31 dias preso preventivamente, o ex-secretário de Saúde (Susam), Pedro Elias, teve sua prisão convertida para regime domiciliar, por decisão do Tribunal Regional Federal de Brasília (TRF1). O médico deve deixar o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) 2, localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), nesta sexta-feira (2).

O ex-secretário foi preso no dia 14 de dezembro durante a operação “Custo Político” da Polícia Federal, um desdobramento da operação Maus Caminhos, deflagrada em setembro de 2016, que desarticulou um esquema de desvio de R$ 110 milhões da Saúde do Amazonas. Ele chegou a cumprir regime domiciliar, mas foi preso novamente no dia 31 de dezembro, por ordem da juíza federal Ana Paula Serizawa.



A decisão do TRF1 levou em consideração o benefício dado ao ex-secretário da Fazenda (Sefaz), Afonso Lobo, no dia 24 de janeiro. No habeas corpus, a defesa de Lobo sustentou que o recurso apresentado pelo Ministério Público Federal no plantão judicial, onde a plantonista era a juíza federal que é a titular desse processo – Ana Paula, pedindo que a prisão domiciliar fosse transformada em prisão preventiva, violou a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que não admite a reconsideração de matéria já apreciada pelo órgão de origem.

Segundo o advogado e irmão do ex-secretário Pedro Elias, Carlos Evaldo Souza, a juíza federal Ana Paula Serizawa, assinou o alvará de soltura na tarde de hoje. Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que o alvará de soltura do ex-secretário chegou às 18h02 e, por isso, foi postergada para amanhã a sua liberação do CDPM 2.

“(Pedro Elias cumprirá) prisão domiciliar sem tornozeleira”, disse o advogado e irmão do investigado.

Vantagens e propina

Pedro Elias, segundo investigação da Polícia Federal (PF), teria recebido R$ 1,6 milhão em vantagens indevidas. Deste total, R$ 100 mil foram em transferências bancárias a pedido de Pedro Elias para parentes; R$ 87,9 mil em “favores” a um dos filhos do ex-secretário – Mateus Batalha de Souza, que incluem o pagamento do aluguel do apartamento em Brasília no valor de R$ 2 mil. Mouhamad chegou a emprestar para Mateus um de seus carros de luxo, um Porsche Cayenne GTS, enquanto o veículo que ele utilizava regularmente passava por reparos.

Ainda para Pedro Elias e membros da família, Mouhamad pagou R$ 92,6 mil em diárias em hotéis de luxo. Entre julho de 2015 a setembro de 2016, o empresário pagou para Pedro Elias R$ 1,4 milhão em propina.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.