Publicidade
Manaus
Manaus

Pelo segundo dia, moradores da invasão Cidade das Luzes fazem protesto na sede do Governo

Ocupantes de uma comunidade originada de invasão no bairro Tarumã, com mais de 500 famílias, reivindicam moradias por parte do Governo do Amazonas 27/10/2015 às 10:45
Show 1
Moradores da comunidade Cidade das Luzes fazem protesto
ACRITICA.COM Manaus

Moradores da comunidade Cidade das Luzes, localizada na Zona Oeste de Manaus, começaram novamente um protesto na frente da sede do Governo do Estado, na av. Brasil, bairro Compensa, também Zona Oeste, na manhã desta terça-feira (27).

Pelo segundo dia consecutivo eles foram para frente do órgão e interditaram a via carregando cartazes e placas para chamar atenção. Ontem, eles também promoveram uma manifestação e bloquearam um trecho da avenida, causando um longo congestionamento de veículos.

Os manifestantes reivindicam moradias por parte do Governo do Estado, já que a comunidade Cidade das Luzes é originada de uma invasão situada entre o ramal da Anaconda e a margem direita do rio Tarumã-Açu, no bairro Tarumã, Zona Oeste. Atualmente, mais de 500 famílias residem no local.

Até as 10h os manifestantes continuavam no local, conforme informou policiais militares 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Equipes da 8ª Cicom e da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) permaneciam no local da manifestação, considerada tranquila.


Eles carregavam cartazes. Foto: Winnetou Almeida

Resposta do Governo

Na noite de ontem, o Governo do Estado se manifestou por meio de nota enviada à imprensa afirmando que não seria possível atender as reivindicações dos moradores porque a área ocupada por eles são objeto de decisão judicial para desocupação.

Segundo o Governo, os representantes dos moradores foram recebidos na Casa Civil, ontem pela manhã, e entregaram uma solicitação por escrito pedindo que permaneçam no território da invasão de onde parte foi retirada por força de uma decisão judicial de reintegração de posse. Entretanto, o Governo disse que não há nada a ser feito. “Não há como atender a solicitação, pois o Governo respeita as decisões judiciais que foram tomadas”, consta na nota.

O Governo também informou que já existe uma solicitação do delegado da Polícia Federal Rosinaldo Wanderley para que o Estado se abstenha de realizar obras de infraestrutura no local para evitar danos maiores ao meio ambiente. A comunidade Cidade das Luzes, originada de invasão, já causou destruição de parte da floresta nativa e poluição do igarapé Tarumã-Açú.

Cidadão X

Além dos moradores da Cidade das Luzes, parte dos manifestantes que ocupam desde ontem a frente da sede do Governo são ocupantes do conjunto Cidadão X, também no Tarumã, Zona Oeste. Eles também exigem moradias, mas segundo o Governo de Estado os imóveis (residências) de onde eles foram retirados já tinham proprietários em lista de espera para morar.

Blackout

No início deste mês, órgãos de polícia e o Ministério Público do Estado deflagraram a operação “Blackout” na comunidade Cidade das Luzes para desarticular uma organização criminosa de milícia que comandava a comunidade. Doze pessoas foram presas.

O Governo do Estado afirmou que não pode intervir nas duas áreas ocupadas por moradores porque a Polícia Federal, o MPE e o Ministério Público Federal estão agindo nos dois casos. O Governo afirmou que “não compactua com a ocupação desordenada dos espaços públicos, mantendo uma política habitacional que projeta a ocupação planejada da cidade”.

Indígena

No início deste mês, os ocupantes da invasão Cidade das Luzes denunciaram a truculência da polícia durante ações dentro da comunidade que, inclusive, teria atirado “para matar” um indígena. Líderes indígenas enviaram ao MPF pedindo investigação do caso.

Publicidade
Publicidade