Publicidade
Manaus
MEDO

‘Pensei que iria cair na Torquato Tapajós’, diz testemunha de acidente aéreo em Manaus

O Portal A Crítica conversou com pessoas que presenciaram a queda do avião ocorrida hoje (22) na capital amazonense 22/05/2018 às 12:21 - Atualizado em 22/05/2018 às 12:23
Show bombeiros4
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
Amanda Guimarães Manaus (AM)

“Tudo foi muito rápido. Eu estava vindo da minha empresa e parei em um posto. Do nada, vi o avião cambaleando e com muita fumaça”. Essas são declarações do empresário Júlio Almeida, de 43 anos, uma das testemunhas do acidente aéreo ocorrido na manhã desta terça-feira (22), em Manaus, entrevistadas pelo Portal A Crítica.

Segundo o empresário, o pensamento inicial dele foi de que o avião cairia no meio da pista da avenida Torquato Tapajós, que dá acesso ao Aeroclube de Manaus, destino final do Cessna 208B, matrícula PT-FLW, de propriedade da Amazonaves Táxi Aéreo. “Pensei que ele iria cair na Torquato Tapajós, mas caiu nesta área de mata. Quando cheguei aqui vi o avião em as chamas. O piloto não estava mais. O Corpo de Bombeiros estava isolando a área”, completou o empresário.

Outra testemunha, o motorista, Hélio Miguel, de 34 anos, que reside bem perto da área onde aconteceu o acidente, disse que escutou um forte barulho depois das 9h. “Estava em casa e escutei o forte barulho. Olhei para janela e já vi a fumaça. Vim logo correndo para ver o que tinha acontecido e vi o avião. Depois escutei duas explosões”, comentou.

Hélio Miguel afirmou que soube que o piloto havia sobrevivo a partir de relatos de outros residentes da área. “Quando eu cheguei o piloto não estava mais. Mas os outros moradores relataram que ele saiu da aeronave com ferimentos leves”, completou.

Sobrevivente

O piloto sobrevivente do acidente aéreo foi identificado como Clóvis Martiny, de 55 anos. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), ele foi socorrido e levado em veículo particular para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. O estado de saúde do piloto não foi confirmado.

Recorrente

Há exatamente três meses, no dia 22 de fevereiro deste ano, outro acidente aéreo ocorreu no mesmo no local deixando quatro mortos e uma pessoa gravemente ferida. A aeronave acidentada foi um monomotor Embraer EMB-720, de prefixo PT-VKR, que estava em situação regular junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

*Colaborou Vinícius Leal e Oswaldo Neto

Publicidade
Publicidade