Publicidade
Manaus
Manaus

Perseguição pode ter levado universitária a colidir carro em poste em Manaus

A estudante de medicina Renata Lobato, 23, faleceu na madrugada deste domingo (18) após colidir o veículo que dirigia em um poste na avenida Torquato Tapajós, bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus. A perseguição é uma das teses da Polícia Civil, mas ainda não pode ser confirmada 19/08/2013 às 20:48
Show 1
Veículo modelo Ford Ka ficou destrído após colisão com poste
acritica.com Manaus (AM)

A morte de Renata Lobato, 23, durante a madrugada desse domingo (18) endossou a estatística crescente de falecimento por acidente de trânsito em Manaus. Passados pouco mais da metade do mês de agosto, foram registradas quatro mortes, motivadas por colisões, na avenida Torquato Tapajós, local onde a estudante de medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Renata Lobato, 23, bateu seu carro modelo Ford Ka preto, de placas NPA 9889, contra um poste.

A universitária faleceu na madrugada deste domingo (18) após colidir o veículo que dirigia em um poste na avenida Torquato Tapajós, na altura do bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus.

De acordo com a Polícia Militar, a universitária estava sozinha em seu automóvel. A colisão aconteceu por volta das 3h deste domingo, segundo os registros do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), e causou muitos danos ao carro. No local do acidente e no interior do carro, rastros de sangue estavam visíveis e a batéria foi parar no banco do motorista com o choque.

O velocímetro do automóvel estava travado em 125 km/h, indicando que Renata conduzia em alta velocidade. A vítima chegou a ser encaminhada para o Hospital Pronto-Socorro do Galiléia, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Segundo familiares, antes do acidente ela estava na casa de uma amiga que mora no bairro Dom Pedro, Zona Oeste, e saiu do local à meia-noite, dizendo que ia para casa, no Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul. Ainda segundo a família, seus pertences que estavam no carro não foram encontrados, mas ninguém sabe o que aconteceu.

Renata estava no 11º período de medicina, curso que fazia na Ufam.

Estatísticas

Em Iranduba, município localizado na Região Metropolitana de Manaus (RMM), o índice também assusta: dados do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) mostram que de janeiro a junho deste ano, 12 pessoas perderam a vida após se envolverem em acidentes de trânsito nas rodovias Carlos Braga (Iranduba) e Manoel Urbano (Manacapuru). Do total de vítimas, nove foram adultos e três crianças. As estatísticas superaram os números do ano anterior: em 2012 foram registradas 11 mortes, sendo nove de adultos e duas de crianças durante os doze meses. Outras cinco vítimas fatais que ainda não foram contabilizadas deverão entrar na lista de estatística semestral deste ano, divulgada pelo órgão.

Imprudência e consumo de bebida alcoólica são umas das causas apontadas para a ampliação dos números. No caso de Renata, a Polícia Civil (PC) investiga se o motivo da alta velocidade registrada pelo velocímetro do carro, que parou em 125 km/h, foi uma perseguição. A hipótese não foi confirmada, mas faz parte do leque de possibilidades da ocorrência.

De acordo com a assessoria de imprensa da PC, a falta de testemunhas e imagens de câmeras de segurança do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), dificultam o esclarecimento do caso.

Publicidade
Publicidade