Publicidade
Manaus
Manaus

Perseguição policial na avenida Torquato termina em acidente com vários veículos e vítima fatal

Policiais perseguiam o motorista de um Fiat Fiorino, que colidiu com vários veículos, entrou na contramão e acabou morto 16/11/2015 às 15:41
Show 1
Perseguição policial termina em acidente e vítima fatal
VINICIUS LEAL e ISABELLE VALOIS Manaus (AM)

ASSISTA VÍDEO

Uma perseguição policial na av. Torquato Tapajós, em Manaus, terminou com um acidente de trânsito envolvendo vários veículos e com uma vítima fatal, no final da manhã desta segunda-feira (16). O homem que era perseguido pelos policiais, Alexandre Amadel de Carvalho, 36, acabou morto.

Segundo testemunhas, policiais militares do Batalhão de Choque Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) perseguiam o condutor do Fiat Fiorino de cor branca e placas PHF-6703, Alexandre Amadel, no sentido Centro/bairro da avenida Torquato. Para fugir, o motorista teria acelerado e acabou atingindo vários veículos que trafegavam pela via.

No total, a perseguição e acidente envolveram dez veículos em cadeia: sete carros, uma viatura da polícia, um ônibus da linha 208 e uma motocicleta. Um dos atingidos seria um mototaxista que acabou ferido e levado para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto. O estado de saúde dele ainda não foi confirmado.

Após o Fiat Fiorino colidir contra outros veículos e continuar fugindo, os policiais da Rocam teriam atirado contra o pneu do carro, que acabou derrapando na pista. O motorista continuou acelerando e atingiu mais carros, sendo uma picape Ford atingida, de frente, por último.


Fiorino atingiu vários veículos na fuga. Winnetou Almeida

A partir daí, o motorista da Fiorino não conseguiu mais fugir. Os policiais desceram da viatura, efetuaram disparos e o homem foi retirado do carro. Alexandre foi algemado e entrou andando, consciente, dentro do camburão da Rocam e, de lá, seguiu com os policiais.

Delegacia

Cerca de uma hora depois, os policiais chegaram com o motorista da Fiorino no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na frente do Aeroclube de Manaus. Alexandre Amadel estava dentro de outra viatura, não mais da Rocam, e sim pertencente à 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Ele estava desacordado.

No DIP, os familiares de Alexandre já o esperavam por lá. Eles se desesperaram ao verem o homem desacordado. “Vocês mataram meu irmão”, esbravejou o irmão do motorista, João Batista, 40. Alexandre foi carregado de dentro da viatura para o hall de entrada do 12º DIP.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi acionado, mas demorou cerca de 45 minutos para chegar, segundo testemunhas. Pessoas tentaram reanimar Alexandre, mas ele morreu no local, sem motivo aparente, já que no corpo dele não havia marcas de agressão ou perfurações de tiro ou arma branca.


O corpo do motorista em frente ao 12º DIP. Winnetou Almeida

O Instituto Médico Legal foi ao local remover o corpo e peritos do Instituto de Criminalística também compareceram para recolher provas e vestígios do óbito, inclusive dentro do camburão da viatura. Segundo o perito Wellington Medeiros, não tem como considerar o caso como homicídio. “Só o laudo poder confirmar o que aconteceu”, disse.

Família

O irmão do morto, o empresário João Batista, de 40 anos, contou que Alexandre trabalhava para ele como motorista, dirigindo o Fiat Fiorino. Segundo João, o irmão já foi usuário de drogas e passou por reabilitação na Fazenda da Esperança, em 2011. A maior suspeita para a morte seria overdose, mas isso só poderá ser confirmado pelo laudo do IML

A suspeita que Alexandre seria um assaltante fugindo dos policiais foi descartada por familiares.

Polícia Militar

A Polícia Militar do Amazonas ainda não se pronunciou sobre o caso.

*Colaborou o fotógrafo Winnetou Almeida

Publicidade
Publicidade