Publicidade
Manaus
Manaus

Perseguição policial termina com batida em poste, no São Jorge, Zona Oeste de Manaus

Três acusados de praticar arrastão tentaram escapar da polícia e só pararam depois de bater o carro num poste 13/06/2015 às 13:35
Show 1
Os bandidos foram presos depois de perseguição e troca de tiros com a Polícia Militar
acritica.com Manaus (AM)

Três pessoas foram presas em flagrante pela 21ª companhia Interativa Comunitária (Cicom), após tentarem realizar um arrastão no bairro São Jorge, na Zona Oeste de Manaus. O trio foi interceptado na avenida Jacira Reis pela guarnição que emitiu sinais sonoros para que o veículo parasse, mas fugiram.

De acordo com registro do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), o trio, identificado como Tarcio Farisa da Silva, 21, Danley Carvalho da Silva, 19, e Bruno Lima de Oliveira, 23, aceleram em alta velocidade em direção ao bairro do São Jorge.

Segundo o Ciops, os criminosos aproveitaram e atiraram contra a guarnição ao passarem por uma rua com pouca iluminação. Os policiais da 21ª Cicom revidaram os disparos e atingiram Bruno. O carro dos suspeitos, um Gol branco, ainda foi jogado por eles em cima da viatura da polícia.

Segundo a Polícia Militar, a viatura colidiu com um Gran Siena dirigido por uma mulher de 35 anos. O veículo dos suspeitos só parou, após bater de frente com um poste. Após a prisão, os militares encontraram uma pistola de uso restrito das polícias e um simulacro.

O suspeito baleado foi atendido e levado ao pronto-socorro 28 de Agosto, onde ficará sob custódia. De acordo com o Ciops, o trio foi levado ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Ponta Negra, onde foram autuados por roubo e porte ilegal de arma de fogo.

As ocupantes do carro Gran Siena, identificadas como Joyce Lívia da Silva Costa, 35 e Nicole da Silva Vale, 22, foram socorridas e encaminhas ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA), do bairro São Raimundo, onde também estão sob observação.

Na mesma noite, elas foram liberadas, segundo consta no relatório do Ciops. Em consulta ao site do TJ-AM, apenas Bruno respondia por crimes. Conforme o órgão, ele tinha cinco passagens pela polícia, sendo três por roubo majorado, um por porte ilegal de arma de fogo e outra por estelionato.

Publicidade
Publicidade