Publicidade
Manaus
USO DE DROGAS

Pesquisa aponta que número de homens entre 25 e 40 anos é o maior entre os viciados

A doutora Loren Cavalcante revelou os dados durante mesa redonda em evento alusivo ao Dia do Psicólogo 23/08/2017 às 19:30 - Atualizado em 24/08/2017 às 17:23
Show capturar
Número de dependentes químicos em Manaus aumentou nos últimos dois anos (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Lauren Bernardo Manaus (AM)

Homens entre 25 e 40 anos de idade e com baixo nível de escolaridade constituem o perfil mais frequente de dependentes químicos em Manaus, segundo revelou a psicóloga e doutora em psiquiatria Loren Cavalcante, ontem, durante uma das palestras oferecidas pela Faculdade DeVry Martha Falcão em comemoração ao Dia do Psicólogo, cuja data oficial é 27 de agosto.

A psicóloga comandou uma das mesas redondas que abordou o assunto “Dependência Química”, com relação ao uso vicioso de álcool e drogas. “Há pessoas de todos os níveis de escolaridade e faixas etárias que apresentam quadro de dependência, mas contatamos com muita frequência homens de 20 a 40 anos e, em geral, não deram sequência à vida escolar”.

Na oportunidade, ao comentar a diferença entre dependente químico  e o consumidor comum,  Loren destacou que o ponto principal a ser observado é se há, no contexto do uso da substância,  prejuízo “seja nas atividades acadêmicas, profissionais ou  pessoais”. 

Ela explicou que muitas pessoas confundem a dependência de uma droga com o uso; outras pessoas acreditam que a dependência a uma droga é "física" ou "psíquica" e que muitas drogas causam uma ou outra dependência. “Nem todo usuário é dependente, mas todo usuário corre o risco de se tornar dependente”, alertou a doutora.

O número de dependentes químicos em Manaus aumentou, segundo ela, comparando os dados do Centro Especializado em Psiquiatra. “Nós já temos mais de  3,3 mil pacientes em menos de dois anos”.

As principais substâncias que causam dependências químicas em Manaus são o álcool, oxi, cocaína, pasta base e maconha. Elas causam alterações no cérebro e com isso uma mudança das funções psicológicas, como a déficit de atenção, memória, entre outros males.

Atendimento

O Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS), localizado na avenida Efighênio Sales, Adrianópolis, Zona Centro Sul, a unidade tem capacidade para receber 45 pacientes por dia e destina-se ao atendimento de adultos, maiores de 18 anos, de ambos os sexos.

O atendimento é feito por meio de demanda espontânea ou de encaminhamento pela rede ampliada de assistência, incluindo os serviços de saúde, de serviço social ou de Justiça. 

Publicidade
Publicidade