Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Manaus

Pesquisa inédita mostra que o Amazonas tem 126 mil crianças e jovens fora da escola

O dado refere-se à população com idade entre 4 e 17 anos e tem como ano-base 2011



1.jpg A pesquisa mostra um fraco desempenho na disciplina de matemática por alunos da rede pública
06/03/2013 às 21:25

O Amazonas ainda possui 126.463 jovens, com idade entre 4 e 17 anos, fora da escola, aponta pesquisa divulgada nesta quarta-feira (06/03) pela Organização Não Governamental (ONG) Todos Pela Educação denominada ‘De olho nas metas 2012’. O número tem como base o ano de 2011 e representa 11,3% da população total nesta faixa-etária no Estado.

Entre os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, o Amazonas figura em segundo lugar no ranking entre os que possuem o menor percentual de pessoas na referida faixa-etária fora da escola, perdendo apenas para Rondônia, com 86,3%.

Segundo a pesquisa, das 1.119.436 crianças e jovens com idade entre 4 e 17 anos no Amazonas, a maioria (88,7%) está estudando. Embora mais de 126 mil jovens ainda estejam fora da escola, a pesquisa aponta uma melhora no quadro do Estado entre 2000 e 2011. Mas, ainda assim, a situação do Amazonas é classificada como “extremamente precária” pelo estudo, junto aos estados do Acre e Rondônia.

Em 2000, apenas 71% das pessoas com idade entre 4 e 17 anos estavam na escola e, em 2011, o número aumentou em 17,7 pontos percentuais. Contudo, a meta estabelecida para a ONG para 2012, ano em que os dados ainda não foram analisados, é de 93,8% do total.

No Brasil, atualmente, 92% da população inserida nesse contexto está na escola enquanto que a meta para o ano seguinte é de 94,7%. No quadro total, a região Norte é a pior entre as cinco regiões brasileiras, com 76,9% em 2000 e 89,7% em 2011. A melhor é o Sudeste com 93,1% do total da população jovem na faixa-etária citada em processo de aprendizagem.

Conforme a ONG Todos Pela Educação, no Brasil, 3,6 milhões de crianças e jovens não freqüentam o banco escolar. A fonte para tal afirmação é a Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio – 2011). O número equivale à população inteira do Uruguai. Proporcional à riqueza, São Paulo é o Estado com maior número de crianças fora da escola atualmente: são 575 mil (6,6% do total inserido na faixa-etária citada).

O estudo mostra, ainda, que no quesito ‘taxa de conclusão dos ensinos fundamental e médio”, que avalia as disciplinas língua portuguesa e matemática, o Amazonas, embora tenha superado as metas estabelecidas nas duas matérias no 5º ano (fundamental), em português no 9º ano - não alcançando a meta de matemática na mesma série - e em português no 3º ano do ensino médio - também não alcançando a meta prevista para matemática -, no geral, ficou abaixo da meta nas duas categorias.

No ensino fundamental, o Amazonas chegou à média 50,4 quando a meta era 63,2. No ensino médio, ficou com 33,0 quando o estabelecido como meta foi 45,4.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou por meio da assessoria de comunicação que irá se manifestará nesta quitna-feira sobre o assunto.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.