Terça-feira, 23 de Julho de 2019
PROTESTO

Petroleiros do AM aderem parada contra a reforma da Previdência, diz Sindipetro

“Trabalhadores do turno das 23h não vieram trabalhar e, agora pela manhã, esperamos adesão do turno das 7h e da parte administrativa", disse o diretor do Sindpetro-AM, Marcus Ribeiro, em ato realizado na frente da Refinaria Isaac Sabbá



GREVE_99F25ADA-8F02-4F45-9323-CEEE05A9CF4D.JPG Foto: Winnetou Almeida
14/06/2019 às 07:24

Petroleiros do Amazonas paralisaram as atividades na madrugada desta sexta-feira (14), aderindo greve geral contra a reforma da Previdência, proposta pelo governo Jair Bolsonaro. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo no Amazonas (Sindipetro-AM), trinta trabalhadores do turno de 23h da Refinaria Isaac Sabbá (Reman), não foram trabalhar. A expectativa é que 200 petroleiros participem da paralisação durante o dia.

Com faixas e carro de som, diretores do Sindipreto-AM realizaram por volta das 7h,  um ato em frente à Reman, localizada no bairro Distrito Industrial, na Zona Sul de Manaus. O grupo aderiu movimento nacional contra o contingenciamento na Educação e privatizações.

O diretor do Sindpetro-AM, Marcus Ribeiro, afirmou que a paralisação dos petroleiros do Amazonas está controlada e dentro do planejado. “Trabalhadores do turno das 23h não vieram trabalhar e, agora pela manhã, esperamos adesão do turno das 7h e da parte administrativa, contabilizando cerca de 200 petroleiros. Estamos aderindo greve geral contra a reforma da Previdência, pela Educação e contra as privatizações”, disse Marcus.

O sindicalista também afirmou que a categoria está lutando para que seja mantida o atual sistema de previdência no Brasil. “Fizemos uma pesquisa e não existe esse déficit na Previdência, como o Governo Federal diz. Queremos que seja mantido o atual sistema da Previdência. Quanto às privatizações das refinarias, a população brasileira é que será mais prejudicada. O Governo diz que isso gerará competitividade nos valores dos combustíveis, mas se a Reman for vendida, o monopólio será de uma empresa privada”, destacou.

Os petroleiros do Estado devem ficar paralisados até as 23h desta sexta-feira (14), como em outros locais do país.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News amanda00 fbdf33e9 57d8 4f3d 9b50 fe9771f08596
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.