Publicidade
Manaus
OPERAÇÃO

PF cumpre oito mandados de prisão por pornografia infantil em Manaus

Um dos investigados, segundo o órgão, abusou de mais de 10 crianças, aproveitando-se de trabalho em grupo religioso infanto-juvenil 14/09/2016 às 09:02
Show pf
Mais de 40 policiais federais estão nas ruas para cumprir os mandados / Foto: Márcio Silva / 01/03/2009
acritica.com* Manaus (AM)

A Polícia Federal deflagrou hoje, em Manaus, a Operação 'Lupus Agnus', com o objetivo de combater a divulgação de imagens com  conteúdo pornográfico infantil na internet, bem como outros os crimes relacionados, como de estupro de vulnerável, no Estado do Amazonas.

De acordo com nota enviada pelo órgão, desde as 6h aproximadamente 40 policiais federais estão envolvidos no cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Federal do Amazonas em  desfavor dos investigados. Outras quatro pessoas estão sendo conduzidas para prestar esclarecimentos sobre os fatos na Superintendência Regional do  Amazonas.

As investigações apontam que os indivíduos são responsáveis pelo compartilhamento de centenas de arquivos contendo pornografia infantil na  internet, havendo, ainda, suspeitas de produção de algumas imagens e vídeos  para divulgação.

No decorrer das investigações, segundo a PF, ficou provado que um dos investigados teria abusado sexualmente de mais 10 crianças de seu entorno familiar e social. "Aproveitando-se de seu trabalho em um grupo religioso infanto-juvenil, ele conquistava a confiança das crianças e dos adolescentes, satisfazendo, assim, seus desejos e lascívia sexual", diz a nota do órgão.

A PF afirmou, na nota, que devido a esse e demais casos, "importante alertar as famílias sobre a necessidade de cuidado e atenção às pessoas próximas das crianças e adolescentes, bem como suas relações interpessoais nas redes sociais".

As penas podem chegar a 10 anos de prisão, no caso de armazenamento e compartilhamento na internet de arquivos contendo  pornografia infantil, acrescidos de até 8 anos para quem os produz e de até 15 anos para quem comete estupro de vulnerável.

O nome da operação “Lupus Agnus” significa lobo e cordeiro em latim, fazendo referência à fábula “o lobo em pele de cordeiro”, justamente  porque os pedófilos estão no seio da sociedade disfarçados de pessoas normais,  muitas vezes considerados acima de quaisquer suspeitas.

*Com informações da Polícia Federal 

Publicidade
Publicidade