Domingo, 08 de Dezembro de 2019
REVELAÇÃO

Pintor que iniciou com serviços voluntários é destaque entre grandes empresas do AM

Otacílio Viana foi convidado para fabricar as portas da Arena da Amazônia. Seu último trabalho foi construir a 'Vila do Chaves', no DB do Nova Cidade



chaves_D34416DE-8945-4239-BC8B-01FC3E096EDB.JPG Foto: Divulgação
14/11/2019 às 11:39

Ao pensar em boas ideias de negócios para se tornar seu próprio chefe, é difícil saber por onde começar, não é mesmo? A sessão ‘Meu negócio’ desta semana traz a história do cearense e cenógrafo, Otacílio Viana de Sousa Neto, 38 anos, mais conhecido como Rucho Viana, que começou sua empresa com apenas R$ 170. Ele comprou uma geladeira usada para retirar o motor, transformou em um compressor, comprou algumas tintas e iniciou um trabalho gratuito, pintando paredes de estabelecimentos para mostrar um pouco da sua arte. 

“Sem conhecer nada deixei tudo que tinha na minha terra (Ceará) e vim pra Manaus, cheguei aqui com apenas R$ 170  no bolso e muita coragem, saí andando e pensando por onde iria  começar,  pois o único dinheiro que tinha era R$ 170. Cheguei em frente a um ferro velho e vi uma geladeira muita velha, comprei por R$ 150 pra retirar o motor dela e fazer um compressor,  com os R$ 20  resolvi comprar uma tinta e um solvente. Retirei o motor da geladeira fiz o compressor e pedi a um senhor para fazer uma pintura na parede de seu comercio para mostrar o meu trabalho. Eu fazia pinturas de graça somente para mostrar o meu serviço”, relatou ele.  

Após realizar diversas pinturas pela cidade de Manaus, o artista foi convidado para fabricar as portas da Arena da Amazônia, logo seu trabalho ganhou espaço no mercado e assim nasceu a “A Arte de Coração”. De acordo ele, investir seu negócio nesse ramo de cenários diferenciados, é por saber  que ainda existem pouco artistas plásticos. Com cinco anos no mercado, hoje o cenógrafo faz do empreendedorismo uma fábrica de oportunidades e realização de sonhos.



“Eu gostei de trabalhar com peças de decorações,  vi que era isso que eu queria fazer, pois é um trabalho que eu amo,  além de me permitir  realizar os sonhos das pessoas” disse. 
Com uma equipe de seis pessoas, o cenógrafo criar cenários diferenciados em empresas, ONG, shopping. Além de realizar palestras em instituições e dá aulas para crianças.

Vila dos Chaves

Rucho e sua equipe já criaram cenários de diversos temas, os  mais solicitados e inusitados são os de boteco, cabaré e o queridinho da galera, a Vila do Chaves. O cenário fica no DB do Nova Cidade, de domingo a domingo, das 17h às 21h. Para visitar e tirar fotos é necessário pagar apenas o valor  de R$ 3. O cenário em breve estará no Shopping Via Norte e no DB da Cidade Nova. 

Segundo ele, o cenário é todo feito de materias reciclados.  “É importante mostrar para as pessoas  que não é preciso muito para tirar aquela sua ideia antiga do papel, basta ter coragem e usar aquilo que sabe fazer de melhor. A vila é muito requisitada, muitas pessoas ao entrarem para visitar ficam emocionadas, algumas choram, a criançada fica maravilhada. Poder proporcionar isso não tem preço” ressaltou.

Premiação

Recentemente, por meio dos projetos e trabalhos realizados, a ‘A arte de Coração’ foi premiada na categoria melhores do ano Eventos Manaus 2019, a entrega do troféu será realizada dia 4 de dezembro.  
 

News vanessa e6e5e446 0cb4 4a34 a8b3 ae310dd8f36e
Repórter do Manaus Hoje
Manauara / Mãe do Zack / Jornalista / Voluntária no @institutotchibum ... e um montão de coisa aí.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.