Publicidade
Manaus
ALTERNATIVA

Plano B: PC do B cogita lançar Lúcia Antony ao governo caso PSB não apoie Vanessa

Indefinição a respeito da inclusão de Vanessa Grazziotin como candidata ao Senado na chapa de David Almeida fez partido bolar alternativa, na qual exige a presença do PT 15/08/2018 às 17:52 - Atualizado em 15/08/2018 às 17:56
Show whatsapp image 2018 08 15 at 17.31.21 96a4055a d454 460d b2cd 2cb97169e481
(Foto: Antônio Lima)
Rebeca Almeida Manaus

A uma hora para encerrar o período para registro de candidaturas eleitorais, o PCdoB no Amazonas afirmou que lançará candidatura própria ao governo caso o PSB não apoie a senadora Vanessa Grazziotin à reeleição. O imbróglio vem se arrastando por conta da exigência do PT nacional em coligar com o PC do B, contrariando a decisão tomada em âmbito local. O PT no Amazonas definiu apoio à candidatura de David Almeida , do PSB, numa chapa que excluiu o PC do B. 

De acordo com o presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra, apesar do 'plano B', a aliança com o PSB ainda é esperada. "Eu recebi por volta de 12h30 um telefonema do atual pré-candidato a governador, David Almeida, dizendo que da parte dele estava envidando esforços para que até o horário limite todas essas questões estivessem encaminhadas", disse, reafirmando o interesse de David Almeida (PSB) na coligação.

Eron Bezerra também confirmou que caso a coligação não ocorra, a presidente municipal do PCdoB, a ex-vereadora Lúcia Antony, será registrada como candidata ao governo, com o diretor do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro), Ademir Caetano, como seu vice.

Questionado sobre a presença do PT com o PCdoB caso a candidatura própria do partido ocorra, o presidente estadual do partido afirma que a sigla deve coligar com o PCdoB conforme determinação nacional, deixando o PSB e David Almeida sem o apoio petista. "Pelo o que a presidenta Gleisi Hoffmann nos indicou, o PT integraria essa decisão que já está com o TRE-AM. A direção nacional do PT já tem a deliberação sobre isso, portanto, até onde eu tenho conhecimento, isso para mim é uma matéria resolvida, o PT já decidiu nacionalmente de qual lado ele fica".

A senadora Vanessa Grazziotin reforçou a aliança com o PT caso o partido não faça coligação com o PSB. "Nacionalmente nós tínhamos um acordo, os partidos mais progressistas tinha um acordo de buscar uma unidade do ponto de vista nacional. Lamentável essa unidade não ter acontecido, entretanto houve um acordo entre o PSB nacional e o Partido dos Trabalhadores para que o PSB não lançasse candidato a presidente da República, entretanto que apoiasse os candidatos das forças progressistas", disse.

Publicidade
Publicidade