Segunda-feira, 01 de Junho de 2020
PREPAROS FINAIS

PM se prepara para ação no Monte Horebe e aguarda cadastro dos moradores

Desabrigados farão cadastro no CMPM VI para garantir direito à moradia. Ação policial espera apenas por preparos finais de policiais militares



fac309aa-dd47-4a9e-8f67-850f1137fffc__1__9CE48D92-4824-4E07-904B-580267FC3B42.jpg Foto: Euzivaldo Queiroz
02/03/2020 às 08:29

Dezenas de moradores tanto do Viver Melhor quando do Monte Horebe, na Zona Norte de Manaus, se mobilizam na expectativa da reintegração de posse prometida para a manhã desta segunda-feira (2). Segundo a Secretaria de Comunicação Social (Secom), a ordem para o início ação policial espera apenas pela conclusão do preparo dos policiais militares, além dos órgãos de assistência social, que conduzirão os desabrigados ao colégio CMPM VI, para coleta de dados das famílias afetadas pela ação.

"É um absurdo isso que esta acontecendo. Por que não conteram a reserva antes? E agora querem tirar o  povo das suas moradias. Os moradores do Viver Melhor são contra tudo isso. Estamos cansados de ver essas pessoas batalhando", afirmou a auxiliar administrativo, Suzilane Charles, 40, que mora há seis anos no habitacional e viu a ocupação crescer.



"A invasão cresceu por venda de terrenos e chegou onde chegou por promessa de casas. A gente vê é uma miséria total", acrescentou.

Outra moradora do Viver Melhor, Letícia Angel, 26, afirmou que lamenta a situação.

"Alimentaram a esperança deles. Isso não é um problema de polícia e sim de políticas. Os policiais são treinados para esse tipo de situação e eles não se sensibilizam como a gente".

Temendo perder tudo o que construiu há cinco anos, uma dona de casa que preferiu não se identificar para a reportagem, comenta sobre a tensão que vive a comunidade nestas últimas 24 horas.

"Há cinco anos, eu moro com os meus sete filhos e tudo foi construído com muito sacrifício. A máquina de lavar velha foi virando lixo, o guarda roupa servia como porta e, assim, nós fomos vivendo. Se me tirarem daqui, nós não temos para onde ir", conta ela, que afirma estar sem emprego e que faz bicos como faxineira para sobreviver.

Atendimento social

O plano de desocupação foi anunciado na última sexta-feira (28) em coletiva de imprensa convocada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança Pública (SSP), com a coordenação do vice-governador, Carlos Almeida (PRTB). Entre os órgãos envolvidos estão: Seas, Sejusc, UGPE, Casa Civil, Sema, Ipaam, Suhab, SSP, Polícia Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública do Estado (DPE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).

Terão direito a soluções de moradia as pessoas que comprovarem que residiam na ocupação e que não têm para onde ir. As informações do levantamento social serão analisadas pela Suhab, órgão responsável por definir as soluções de moradia mais adequadas.

Após o trabalho de triagem e análise de informações sociais, as famílias a serem beneficiadas com soluções de moradia formalizarão um termo junto ao Governo do Amazonas, com anuência da Defensoria Pública. Nos casos de famílias provenientes de outros países, como a Venezuela, as pessoas serão encaminhadas ao projeto Acolhida, do Governo Federal.

*Colaborou Jan Nogueira.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.