Publicidade
Manaus
LIGAÇÃO

Poder da oração: religiosos destacam importância do ato de pedir e agradecer

Presente em várias religiões, a oração tem até um dia mundial no calendário. A reportagem conversou com representantes de religiões para saber deles o significado do ato 04/03/2018 às 15:05
Show ora  o 1
Imagem do Centro Islâmico do Amazonas, com fiel prostado para sua oração (Foto: Evandro Seixas)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Presente em várias religiões como uma forma de conectar, por meio da fala, os homens ao divino, a oração tem até um dia mundial no calendário, que foi comemorado na sexta-feira (2). O jornal A CRÍTICA conversou com representantes de algumas religiões para saber deles a importância de pedir e agradecer em forma de oração.

“A oração representa estarmos em sintonia com Deus. Nos juntando, fazemos uma corrente mais forte e um elo melhor com Ele”, conta o estudante Raimundo Júnior, 20, membro da Paróquia de Santo Antônio, na Zona Leste, e admirador da reza da Ave Maria. Ele conta que já teve várias graças alcançadas, entre elas a de saúde pelo restabelecimento dos pais e por entrar para a Igreja Católica.

Também integrante da Paróquia de Santo Antônio, a mestranda de Educação, Riulma Ventura, 30, diz que a oração é fundamental, pois “é um meio de fortalecimento e aproximação com Deus; a oração do Cristão é o grande alimento espiritual, a oportunidade de benção”. Ela é admiradora da oração do Pai Nosso e afirma que o principal na oração é ter fé, que será ouvido por Deus, acreditar no que não se pode ver. “Já tive graça alcançada  em relação a estudo e trabalho”, afirma.

Judaísmo

O estudante universitário Shimon Aflalo Marques Pedrosa, de 21 anos, é judeu e frequentador da Sinagoga Beit Yaacov Rabi Meyr, que fica localizada na avenida Leonardo Malcher, Centro. Segundo ele, a oração no judaísmo é bem importante pois é “uma ligação direta com D’us (Deus), devemos agradecê-lo de todo o coração por todas as coisas ao nosso redor, desde a comida que comemos até o nascer do Sol”.

Shimon destaca que “pode parecer que os ‘tempos dos milagres’ já passaram, mas as pessoas esquecem que estarmos vivos por si só já é um milagre; por todas essas coisas agradecemos em nossas orações”.

Ele explica que é difícil pensar em apenas uma ou duas rezas dentro do judaísmo, afinal existem muitas mesmo, desde o tipo de comida que é ingerida, até uma oração para viagem, ou depois de sairmos do banheiro. “Mas se tivesse que te dizer uma, seria o ‘Shemah Israel’, que é uma oração em que se fala como devemos amar a D’us e o que ele fez e ainda faz por nós”, conta o universitário.

Shimon Aflalo disse que as orações como são conhecidas hoje em dia dentro do judaísmo são adaptações/substituições dos sacrifícios bíblicos. “Os sacrifícios eram feitos pelos hebreus na época do grande templo de Jerusalém, porém, após a destruição do templo sagrado e o exílio da babilônica, não tínhamos mais o chamado ‘solo sagrado’, então nossos costumes tiveram que ser adaptados para o que chamamos de judaísmo sinagogal, onde nasceram nossas orações escritas”, ensina ele.

Islamismo

A oração é o segundo dos cinco pilares da religião islâmica, que também é centrada na vida e nos ensinamentos do profeta Maomé (que teria recebido revelações do Arcanjo Gabriel); cumprimento da caridade, jejum no mês de Ramadã e a peregrinação a Meca.

Ela pode ser feita em grupo ou individual, e todas têm o mesmo procedimento, em que se recitam versículos do Alcorão, livro no qual os muçulmanos creem ser a palavra literal de Deus (Alá) revelada a Maomé, de forma em pé, inclinado e prostado, em direção a Meca, sendo feitas em casa ou nas mesquistas (em Manaus a mesquita oficial fica no Centro Islâmico do Amazonas,  na rua Ramos Ferreira, Centro).

“Para os muçulmanos a oração é feita obrigatoriamente diariamente, e distribuída em vários horários durante o dia e a noite, às 4h, 12h, 15h, 18h e 19h. A finalidade da oração é ter um contato direto com Deus e quando você a pratica no horário certo está criando um vínculo constante. O Islã fala que o seu passaporte para o paraíso, quando for julgado, vai ser medido pela sua dedicação pela oração”, disse o muçulmano Tamer Mohamad Mohatron, fiel e colaborador do Centro Islâmico do Amazonas.

Entre evangélicos

O pastor Edilson Melo, da Igreja Asembleia de Deus (Ieadam), explica que uma das diferenças da oração evangélica para outras religiões é que, nela, o único intercessor para falar com Deus é Jesus Cristo, e não outros deuses ou santos. Segundo ele, num geral a oração não é importante só para a igreja evangélica, mas para todo o cristão, pois “nesse momento o homem conversa com Deus e, dependendo a da situação e do que ele quer, vai se dobrar diante de Deus e falar o que quer, se é cura divina, um milagre ou emprego, ou a salvação; é o momento de conexão com Deus”.

O religioso frisa que não basta só falar, mas ter fé para receber de Deus o que se está querendo.

Blog

Presidente da Aratrama, Alberto Jorge, fala sobre oração.

"A oração tem grande importância na vida das pessoas, a exceção daquelas que não acreditam em nada. A oração te coloca em contato com esse universo, com as forãs criadoras, com as forças que regem o universo. No momento em que você reza entra em sintonia com o todo, com todas as pessoas que estão de fato rezando. Não importa se é pra Alá, pra Iavé, Oxalá, Buda, o que importa é que as pessoas estão emitindo uma energia muito grande e forte, de contato, de súplica, de comunhão, então isso tem um poder. E se as sinergias quando se encontram causam coisas boas ou más, como o caso de duas nuvens carregadas e quando de chocam causam raios e trovão, a oração também tem esse caráter. No momento em que se encontra com outras vibrações ela se potencializa, e isto nos torna mais fortes, superiores às outras energias existentes que não conseguem se juntar. Independente do credo e da religião, a oração é importante e feliz daquele que pode rezar, se colocar em contato com o criador e ancestrais”.

Publicidade
Publicidade