Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia apreende 120 quilos de explosivos de grande potencial de destruição em Manaus

Três pessoas foram presas com artefatos dentro de uma casa no bairro Aliança com Deus, Zona Norte. Ação foi feita pelo Grupo de Manejo de Artefatos Explosivos, o Marte 20/11/2015 às 17:32
Show 1
Os explosivos são do tipo E
Luana Carvalho e Silane Souza Manaus

O Grupo de Manejo de Artefatos Explosivos (Marte) da Polícia Militar do Amazonas apreendeu 120 quilos de explosivos de grande potencial de destruição na manhã desta sexta-feira (20) dentro de uma residência na rua Tefé, bairro bairro Aliança com Deus, na Zona Norte de Manaus

Três pessoas foram presas: Andrey Ramon dos Passos França, 30, Lucas dos Santos Rocha, 21, e Paulo Henrique Bento dos Santos, 21. Segundo o capitão Mesquita Feitosa, o Grupo Marte foi acionado para retirar os explosivos de dentro da residência. O Grupo Marte integra o Comando de Policiamento Especial (CPE).

O capitão comentou que a apreensão foi feita durante uma operação da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) do Amazonas. Os artefatos e os suspeitos foram levados para o 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Norte da capital. Os explosivos do tipo E serão analisados e posteriormente destruídos.


São 100 quilos de explosivos. Foto: Aguilar Abecassis

De acordo com o delegado Mário Paulo, da Seai, o preso Andrey estava sendo investigado há dois meses por tráfico de drogas. Hoje, ele foi abordado em via pública no bairro Cidade Nova e encaminhando até a sua casa na rua Tefé, bairro Aliança com Deus.

No local, a polícia encontrou duas balanças de precisão e três porções de entorpecentes entre maconha e cocaína. Embaixo do sofá havia caixas contendo explosivos e cordel detonante. Ao verificar do que se tratava, o grupo Marte foi acionado para fazer a análise e o transporte dos explosivos.

Ainda de segundo o delegado, Andrey falou que uma terceira pessoa, que ele não soube identificar, pediu para ele guardar os explosivos. Segundo Andrey, ele ganharia R$ 5 mil para guardar a carga. Os outros dois, Lucas e Paulo Henrique, moravam com Andrey.

Publicidade
Publicidade