Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia apresenta homem suspeito de matar 8 pessoas em Manaus

Ele foi preso enquanto estava em moto com outro comparsa, que também tem na ficha policial pelo menos um homicídio. Eles negam os crimes 02/06/2015 às 11:01
Show 1
Márcio André Paiva Rodrigues e Ramon Almeida
Vinicius Leal e Joana Queiroz Manaus

A lista de vítimas é grande. No total são oito pessoas que foram assassinadas por Márcio André Paiva Rodrigues e uma vítima morta por Ramon Almeida, 26. Os dois foram presos juntos na última sexta (29), mas foram apresentados hoje pela Polícia Civil, que também investiga outros participantes desses homicídios.

Todos os assassinatos cometidos têm relação com disputa no tráfico de drogas e ocorreram nos últimos dois anos, entre 2013 e 2015, nos bairros Da Paz e Redenção, Zona Oeste.

As primeiras vítimas de Márcio, apontado como o maior assassino da Zona Oeste de Manaus, são Guedes Ferreira da Silva, Robson da Silva Franco e Luis Ferreira da Silva, todos mortos em junho de 2013.

No mesmo ano, em novembro, Márcio cometeu duas tentativas de homicídio e mais um assassinato. Ele tentou matar as três pessoas, mas duas sobreviveram. A vítima fatal foi Moisés Maciel Ferreira, e as sobreviventes foram Cleonice Vieira e João Francisco Cavalcante.

Em dezembro de 2013, foi a vez de Márcio matar Emanuel Marques de Melo Neto. Já em 2014, em agosto, foram mais três assassinados: Davi Lima da Silva, Marcus Ulisses Ferreira de Souza e Ociel Davison Oliveira da Fonseca.

Já o Ramon matou apenas uma pessoa, em setembro de 2014: Jean da Silva dos Santos.

A maioria dos crimes foi cometida com a participação de outros envolvidos, que estão ou sendo investigados e procurados, ou estão mortos ou já estão presos. Saiba mais sobre os crimes clicando aqui.

Prisão

Márcio e Ramon foram pegos na última sexta-feira (29) quando estavam juntos em uma motocicleta, na rua 11, no bairro Redenção. Policiais do Departamento de Narcóticos (Denarc) revistaram os dois e encontraram um revólver calibre 38 com seis munições intactas. A moto em que estavam também tinha placa adulterada.

Levados à sede do Denarc, foi verificado que os dois tinham mandados de prisão preventiva em nome deles pelos assassinatos cometidos. Márcio estava com quatro mandados e Ramon um. Em depoimento, eles negaram os crimes.

Eles foram autuados pelos novos crimes, porte ilegal de arma de fogo e adulteração de chassi, e depois levados para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa.

Publicidade
Publicidade