Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
SEGURANÇA PÚBLICA

Polícia Civil anuncia que 300 aprovados no concurso de 2009 serão chamados

Delegado geral da Polícia Civil, Frederico Mendes, informou que os novos servidores devem compor o efetivo do interior



pol_cia.JPG
Foto: Reprodução/Internet
01/09/2017 às 19:08

A Polícia Civil (PC) anunciou, na tarde desta sexta-feira (1°),  que cerca de 300 aprovados no concurso da instituição, ocorrido em 2009, devem ser convocados ainda este ano. Segundo o delegado geral adjunto da PC, Ivo Martins, há um orçamento previsto para o pagamento desses futuros servidores, no entanto, o prazo para convocação só deve ser confirmado após a definição do novo governador do estado.

“Nós estamos em um momento delicado na política, por isso é preciso cautela ao dizer que essas pessoas vão ser convocadas imediatamente. Nós precisamos deles. Fizemos a tabela do orçamento previsto para 2018, já com o pagamento desse pessoal. O que falta é a definição do cenário político e do próprio comando da Polícia, nos próximos meses”, afirmou.

Conforme o delegado geral da Polícia Civil Frederico Mendes, os novos servidores devem compor o efetivo do interior. A ideia é designar 230 investigadores e 70 escrivães para municípios como Alvarães e Ipixuna.

“Existem algumas delegacias nos interiores do estado que necessitam de apoio. O número de investigadores e escrivães é abaixo da média. Foi por causa disso que nós iremos designar esses futuros servidores para abater esse desfalque”, disse o delegado.

Na tarde de ontem (1º), cerca de 50 aprovados no certame participaram de uma reunião, na Delegacia Geral da Polícia Civil, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus, para discutir a convocação. A presidente da comissão dos aprovados do concurso da Polícia Civil de 2009, Ingrid Santos, disse que, apesar da incerteza no meio político, é uma esperança para os concursados.

“Nós lutamos há oito anos por essa causa. Já tivemos embargos do processo de anulação da prova e convocação dos aprovados, em diferentes órgãos responsáveis do governo, como a própria Procuradoria Geral do Estado (PGE). Hoje tivemos a certeza que nosso direito foi garantido”, disse.

O autônomo Arley Lopes foi um dos candidatos do concurso como Portador de Necessidades Especiais (PNE). Depois de brigar na justiça conseguiu aprovação, mas luta até hoje pela convocação no certame.

“Na época o concurso oferecia 25 vagas para PNE, mas ninguém foi aprovado. Eu entre com o recurso e passei. Só que houve muitas complicações para a convocação. Acredito que dessa vez possa dar certo. Vamos aguardar”, explicou. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.