Publicidade
Manaus
MASSACRE

Polícia Civil conclui inquérito de detentos mortos na Cadeia Pública; 20 são indiciados

Dos 20 indiciados, um deles está foragido, disse o delegado geral Adjunto, Ivo Martins. Mortes ocorreram no dia 8 de janeiro, sete dias após o massacre ocorrido no Compaj 28/03/2017 às 11:13
Show cadeia publica
Mortes ocorreram após reativação da Cadeia Pública, no Centro (Foto: Gilson Melo)
acrítica.com Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas encerrou o inquérito das mortes de quatro detentos ocorridas na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa no dia 8 de janeiro deste ano. Vinte pessoas foram indiciadas. Outros sete presidiários ficaram feridos no episódio, que marcou um período de massacres no sistema prisional do Amazonas.

As vítimas assassinadas foram identificadas como Tássio Caster de Souza, Rubiron Cardoso de Carvalho e Fernando Gomes da Silva e Rildo Silva do Nascimento.

Outros sete foram feridos: Luciano Ferreira Machado de Assis, Diomar Pequeno Souza, Paulo Victor Sadala Henrique, João Valério Mourão de Carvalho, Valder Rodrigues dos Santos Filho, Mateus da Silva Costa e Fábio dos Santos Taveira.

De acordo com o delegado geral adjunto da Polícia Civil, Ivo Martins, dos 20 acusados pelas mortes, apenas um está foragido.

Ainda segundo Ivo Martins, uma coletiva de imprensa deve acontecer nesta quarta-feira (28) para falar sobre o inquérito.

Mortes

Durante um tumulto dentro na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, no dia 8 de janeiro, quatro presos morreram. A confusão iniciou por volta das 1h30 da madrugada. Na ocasião, o Comitê de Gerenciamento de Crise da Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou as mortes e informou que um dos presos foi morto por asfixia.

De acordo com o então secretário de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, destes mortos, três foram decapitados.

Publicidade
Publicidade