Publicidade
Manaus
Esquema criminoso

Polícia Civil desarticula ‘mercado negro’ de motos e carros roubados em Manaus

Por semana, são descobertos em média dois esquemas de desmanche e comercialização de peças e veículos furtados ou roubados na cidade 11/10/2016 às 05:00
Show r
Segundo a polícia, 60% dos veículos roubados e furtados na capital são recuperados (Euzivaldo Queiroz)
Silane Souza Manaus (AM)

Dois desmanches de veículos roubados são desarticulados por semana, em média, em Manaus, de acordo com dados da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv). O “mercado negro” de peças de carros e motocicletas é abastecido por outra rede criminosa: a de roubos e furtos de veículos, que registra uma média de 15 a 20 casos por dia em Manaus, segundo o delegado titular da Derfv, Péricles Nascimento.

De acordo com o delegado, 60% dos veículos roubados e furtados na capital são recuperados. A maioria deles é usada pelos infratores para a prática de outros crimes, principalmente assaltos. Essa, inclusive, é a principal motivação dos furtos e roubos de veículos. Os veículos que não servem a esse fim, normalmente, abastecem o mercado de desmanches ilegais e, em alguns casos, são levados para outros municípios ou Estados, onde serão revendidos após terem a identificação adulterada. “Esses são os principais motivos de roubos e furtos”.

Na última quarta-feira, após seis meses de investigação, a DERFV apreendeu oito veículos que estavam em uma loja de peças automotivas localizada na avenida Professor Nilton Lins, bairro Flores, Zona Centro-Sul, popularmente chamados de “sucatões”. De acordo com o delegado, os veículos estavam armazenados de forma irregular, sem documentação, e a polícia recebeu denúncias de que peças e até mesmo veículos roubados estariam sendo comercializados no estabelecimento, por isso preparou a operação.

Conforme o delegado Péricles, os responsáveis pela loja responderão por crime ambiental e o proprietário foi notificado pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) para apresentar notas fiscais de produtos que estavam à venda. Para voltar a funcionar regularmente, o local deve organizar a documentação necessária.

Ontem, A CRÍTICA esteve no estabelecimento comercial e constatou que as atividades funcionavam normalmente. Ninguém quis falar com a reportagem e o advogado da empresa não foi localizado.

Motocicletas

No dia seguinte, o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) apreendeu 48 motos que estavam participando de um “racha” no bairro Cidade Nova, Zona Norte. A ação ocorreu após inúmeras denúncias de moradores da área. Entre os veículos apreendidos foram identificadas seis motos com placas clonadas e oito roubadas.

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), por sua vez, recuperou uma moto e dois carros roubados desde o dia 19 de setembro durante operações no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. As motos, inclusive, são o “alvo preferido” dos bandidos, aponta a polícia.

Além das operações e investigações, a DERFV firmou uma parceria com o Detran-AM, que vem divulgando os dados de veículos roubados ou furtados em painéis luminosos, mas ela ainda não trouxe muitos resultados na recuperação dos veículos, apontou o delegado. No entanto, Nascimento afirmou que as denúncias sobre carros roubados e desmanches aumentaram.

Abandonados

Muitas vezes, o veículo roubado está “depenado” quando o dono consegue recuperá-lo e acaba abandonado, às vezes, na rua. Mas, mesmo quando não são alvos de furto ou roubo, muitos acabam abandonados do mesmo jeito, quando já não servem mais a seus donos.

E o problema incomoda, principalmente, quem vive ao lado de oficinas, sucatões e ferros-velho que deixam as carcaças dos veículos nas calçadas e até nas ruas, atrapalhando a vida de quem tem que passar pelo local. Além disso, os entulhos largados nas vias públicas podem se transformar em um sério problema de saúde e de segurança pública.

Na esquina da rua Irmã Creuza Coelho, no bairro Zumbi dos Palmares, Zona Leste, vários carros velhos estacionados em frente a uma oficina incomoda os moradores. “Isso incomoda porque as ruas já são estreitas, quando vem carro a gente tem que esperar para poder passar porque não há muito espaço”, relatou uma dona de casa que não quis ter o nome divulgado.

Esse mesmo cenário é encontrado em vários bairros da capital amazonense, principalmente no Cidade de Deus, Zona Leste. Bem como no Nossa Senhora de Fátima, Zona Norte, Colônia Oliveira Machado, Zona Sul, entre outros.

De acordo com o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), os veículos só podem ser removidos desses locais caso estejam com irregularidades de trânsito determinadas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB): estacionados em local proibido, impedindo a circulação de outros veículos na rua, estacionados em cima da calçada ou parados na frente de alguma garagem. Seja ele novo ou velho. Conforme o órgão, em torno de 300 veículos são removidos e levados ao Parqueamento do Manaustrans, por mês, dentro das circunstâncias previstas no CTB.

Como denunciar

As denúncias sobre veículos roubados ou furtados, assim como de desmanche ilegal entre outros tipos de delitos referentes a esse assunto, podem ser feitas através do Disque Denúncia da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículo, no número 99347-2700, que também responde por WhatsApp e funciona 24h.

Publicidade
Publicidade