Publicidade
Manaus
Ligação clandestina

Polícia Civil identifica furto de energia em casa de festas no bairro Ponta Negra

O estabelecimento possuía uma dívida de R$ 200 mil com a Eletrobras e, após dois cortes no fornecimento, o serviço continuava sendo mantido por meio de ligação clandestina 16/08/2016 às 18:09 - Atualizado em 16/08/2016 às 19:48
Show unnamed
Uma das administradoras do Classic foi indiciada, mas responderá pelo delito em liberdade (Divulgação)
acritica.com

A Polícia Civil do Amazonas deflagrou na manhã desta terça-feira (16), em Manaus, uma ação que identificou furto de energia em uma casa de festas localizada no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade. A operação foi realizada pela Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS).

Segundo o delegado Felipe Vasconcelos Dias, as investigações começaram após denúncia de funcionários da Eletrobras Amazonas Energia, que comunicaram a existência de uma dívida no valor de R$ 200 mil referente ao fornecimento do serviço no Classic Hall. Segundo os funcionários, após dois cortes o serviço continuava sendo mantido por meio de ligação clandestina.

No local, segundo o delegado, a ligação irregular foi constatada por peritos do Instituto de Criminalística (IC) e por técnicos da concessionária. A casa de festas fica localizada na rua Raimundo Nonato de Castro, bairro Ponta Negra, Zona Oeste.

“Nesta operação verificamos que a empresa tentou se eximir da dívida existente, tentando efetuar a transferência da titularidade na concessionária para uma nova empresa, mantendo, porém, os mesmos administradores, o que configura uma burla à resolução 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que regula os contratos de fornecimento do serviço”, argumentou o delegado Felipe Vasconcelos.

Uma das administradoras do estabelecimento foi levada à sede da DECFS e indiciada por furto de energia, crime previsto no Artigo 155, parágrafo terceiro do Código Penal Brasileiro (CPB). Ao término dos procedimentos cabíveis ela foi liberada para responder pelo delito em liberdade. Segundo o delegado Felipe Vasconcelos Dias, as ligações clandestinas encontradas foram desfeitas e todos os trâmites legais estão sendo adotados.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade