Publicidade
Manaus
OPERAÇÃO

Polícia Civil identifica situações de maus-tratos a cachorros em Manaus

Equipe da Delegacia de Meio Ambiente recebeu denúncias de animais mantidos em situação de abandono e maus-tratos 23/06/2017 às 13:12 - Atualizado em 23/06/2017 às 13:17
acritica.com

A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), sob o comando do delegado titular Samir Freire, identificou na manhã desta quinta-feira (22), em Manaus, três situações de maus-tratos a cachorros durante a oitava fase da operação “Beethoven”, deflagrada em zonas distintas da capital.

De acordo com o delegado, a equipe de investigação da Dema deu início às diligências após receber seis denúncias indicando endereços onde, supostamente, animais estariam sendo mantidos em situação de abandono e maus-tratos. Dos seis lugares visitados, foram constatadas irregularidades em três deles.

“Recebemos algumas denúncias e decidimos deflagrar essa operação. Encontramos na rua Josué Cláudio de Souza, no bairro Japiim, Zona Sul, uma cadela chamada ‘Dora’, com nove anos de idade, que apresentava uma patologia no sistema reprodutor. O proprietário do animal irá responder pelo crime de maus-tratos, pois deixou de prover assistência veterinária ao animal”, argumentou Samir Freire.

Segundo o delegado, ao longo da operação foram encontrados três animais em situação de maus-tratos, debilitados, magros e desnutridos, na rua São Paulo, bairro São Jorge, Zona Oeste. Já na rua Massaranduba, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte, um cachorro foi encontrado amarrado a uma corrente dentro de um espaço pequeno. Nos outros endereços denunciados os policiais civis verificaram que os animais eram bem tratados pelos donos.

O titular da Dema ressaltou que durante as fiscalizações são observadas as condições físicas dos animais, o local de criação, alimentação, água, vacinação e cuidados veterinários. Também é levada em conta a quantidade de animais, estabelecida na Lei Municipal nº 1530, de 26 de setembro de 2011. O Artigo 17 da referida lei prevê, ainda, que não são permitidos a criação, o alojamento e a manutenção de mais de dez cães ou gatos, no total, com idade superior a 90 dias, em residência particular.

Os responsáveis pelos animais assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de maus-tratos, previsto no Artigo 32 da Lei nº 9605/98. Em seguida receberam orientações e foram liberados para responder pelo delito em liberdade.

Operação ‘Beethoven’

A primeira fase da operação “Beethoven” ocorreu no dia 10 de março deste ano, quando foram identificadas duas situações de maus-tratos a animais domésticos na capital. Já na segunda operação, realizada no dia 24 daquele mesmo mês, foram encontrados quatro animais em moradias precárias e situações de maus-tratos.

A terceira etapa da operação aconteceu no dia 12 de abril, quando foram identificadas quatro situações de negligência a animais domésticos na capital. Na quarta etapa, deflagrada no dia 25 de abril, foram constatados sete casos de descuidos com animais. Durante a quinta etapa, deflagrada no dia 11 de maio, seis situações de maus-tratos foram identificadas.

A sexta etapa da operação foi desencadeada no dia 26 de maio. Na época foram identificadas quatro situações de descaso relacionadas a animais. A sétima etapa ocorreu dia 20 de junho, quando foi registrada uma situação de maus-tratos a um primata da espécie Cebus apella, popularmente conhecido como “macaco-prego”, mantida em condições precárias.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade