Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia Civil prende de uma só vez 25 homens acusados de não pagarem pensão alimentícia

Os presos tem prazo de 30 a 90 dias para efetuar o pagamento do valor em atraso na justiça das pensões e serem liberados 13/10/2014 às 21:36
Show 1
Polícia executou mandados judiciais de homens que não pagavam pensão aos filhos
acritica.com* Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas prendeu 25 homens, durante a operação “Pensão Alimentícia”, deflagrada na manhã desta segunda-feira (13), em vários pontos de Manaus, em cumprimento a mandado de prisão pelo não pagamento de pensão alimentícia a seus filhos.

A operação que começou às 6h da manhã e terminou pela tarde foi executada pela Delegacia Especializada em Capturas (Polinter), com apoio do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), contando com a participação de 25 policiais.

De acordo com o Titular da Polinter, Delegado Carlos Alberto Alencar, esse tipo de medida é necessária para que os inadimplentes com a justiça entendam que esse é um direito garantido por lei e que há consequências pelo seu descumprimento. “Todos esses homens já sabiam os riscos que corriam quando deixaram de pagar pensão aos seus filhos. A operação continuará nos próximos dias e até o final da semana pelo menos outros cem mandados devem ser cumpridos”, informou o delegado.

Apesar de todos os presos serem homens e pais, a operação visa também deter mulheres, que se encontram na situação de inadimplência. Todos os procedimentos legais, inclusive exame de corpo de delito foram realizados pelas equipes da Polícia Civil, e após o cumprimento dos mandados os homens foram encaminhados a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.

Os presos tem prazo de 30 a 90 dias para efetuar o pagamento do valor em atraso na justiça das pensões e serem liberados, mas caso a dívida não seja efetivada no período, o prazo poderá ser prorrogado e o devedor continuará mantido preso.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade