Publicidade
Manaus
QUADRILHA

Polícia Civil prende quadrilha de roubo de veículos que envolvia até despachantes

Nas investigações foi constatado que os suspeitos roubavam automóveis e compravam dos despachantes documentos em branco a fim de regularizar os carros 09/05/2018 às 12:06 - Atualizado em 09/05/2018 às 19:38
Show 2
Foto: Divulgação
Larissa Golvin Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas prendeu na manhã desta quarta-feira (9), em Manaus, uma quadrilha especializada em roubo, furto e adulteração de veículos que envolvia, inclusive, três despachantes que prestavam serviço para o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM).

As prisões ocorreram durante a Operação “Chancela”, deflagrada pela Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv). Segundo o delegado Rafael Allemand, titular da Derfv, cerca de 15 mandados de prisão foram cumpridos. Segundo a Polícia Civil, a operação iniciou por volta das 6h de hoje.

Durante as investigações, foi constatado que os suspeitos roubavam automóveis e compravam dos despachantes documentos em branco a fim de regularizar os veículos. Depois, os carros roubados eram revendidos por valores que variavam entre R$ 1 mil e R$ 10 mil.

Ainda conforme a Polícia Civil, os despachantes tinham escritórios que prestavam serviços para o Detran-AM. Mais informações da Operação “Chancela” serão repassadas durante coletiva de imprensa na sede da Delegacia Geral ainda na tarde de hoje.

Posicionamento 

Em nota, o diretor-presidente do Detran-AM, Vinicius Diniz, esclarece que, embora os despachantes sejam profissionais credenciados junto ao órgão, eles não são funcionários, não possuem vinculo empregatício, logo não podem ser identificados como “despachantes do Detran”.   A atuação desses profissionais junto ao órgão se dá por meio da representação outorgada pelo usuário dos serviços do Detran-AM, seja na área de Veículos ou Habilitação. E para que eles possam exercer esse papel precisam estar regularizados junto ao Sindicato da categoria.

No caso dos envolvidos na operação “Chancela” deflagrada pela Polícia Civil, nenhum deles estava credenciado junto ao órgão.

Ainda conforme o órgão, em relação aos Certificados de Registro de Licenciamento Veicular (CRLV), documentos sem preenchimento (em branco) apreendidos durante a operação, o Detran-AM informa que esses fazem parte de um lote furtado das dependências da unidade do órgão, no município de Iranduba, em  2012, acontecimento que já é alvo de inquérito instaurado pela Polícia Civil.

A direção do Detran-AM esclarece que tem adotado inúmeras providencias para frear a ação dos falsos despachantes, conhecidos como zangões. Uma dessas medidas começou a ser colocada em prática, a partir da inauguração da nova sede, quando passou a ser feita a triagem das pessoas que procuram o órgão de acordo com o serviço demandado.

O diretor-presidente Vinicius Diniz afirma que o Detran-AM está acompanhando o desenrolar das investigações e que está colaborando com a Polícia Civil.

Publicidade
Publicidade