Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia cumpre reintegrações de posse em dois bairros de Manaus

Em duas ações simultâneas com 200 agentes, a Polícia iniciou a desocupação de apartamentos e espaços públicos invadidos no conjunto Prosamim do bairro Santa Luzia e nos residenciais Viver Melhor 1 e 2, no bairro Santa Etelvina 18/12/2014 às 12:55
Show 1
Reintegração no conjunto Prosamim iniciou 6h com policiais da Força Tática e da Rocam
acritica.com Manaus (AM)

A Polícia Militar colocou em prática na manhã desta quinta-feira (18) dois cumprimentos de reintegração de posse em dois bairros de Manaus, um na Zona Sul e outro na Zona Norte da cidade. As ações começaram simultaneamente nos conjuntos residenciais do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), do bairro Santa Luzia, e do conjunto Viver Melhor 1 e 2, no bairro Santa Etelvina.

Segundo o comandante de Policiamento Especializado da PM, tenente-coronel Cleitman Oliveira, a ordem era desocupar 78 apartamentos que estavam vazios, mas foram invadidos no Prosamim da Feira do Cajual, no bairro Santa Luzia, Zona Sul. Nos conjuntos Viver Melhor 1 e 2, Santa Etelvina, Zona Norte, o objetivo era retirar 80 barracas e edificações comerciais construídas irregularmente no espaço público.

Ao todo, 200 policiais foram acionados para as ações de reintegração, 100 da Força Tática e da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) no conjunto Prosamim, e mais 100 da Força Tática e do Choque na desocupação nos conjuntos Viver Melhor. Além disso, a medida também envolveu militares da Cavalaria, do Comando de Operações Especiais (COE), Grupamento Aéreo (Graer) e grupo antibomba Marte.

Na reintegração do conjunto Prosamim, a desocupação foi pacífica. Desde a noite de ontem (17), alguns invasores foram aos poucos deixando os locais e os apartamentos, e nesta manhã os outros saíram do local sem atrito com a polícia. O mandado de reintegração foi emitido pelo juiz Everaldo da Silva Lira, da 3ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).

Viver Melhor

Durante a reintegração nos conjuntos Viver Melhor, houve conflito entre moradores e a PM. Os donos das barracas e edificações de madeira e de concreto tentaram impedir o trabalho dos agentes. Alguns residentes bloquearam a via de acesso ao conjunto incendiando pedaços de madeira e pneus para tentar impedir a entrada dos policiais.

A polícia precisou utilizar bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os resistentes. Houve correria e um homem que passou mal foi socorrido por agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado a um Pronto Socorro. Uma moradora foi atingida por uma bala de borracha na perna após “ir para cima” da polícia, mas recebeu atendimento no local.


Os barracos derrubados no Viver Melhor foram construídos pelos próprios moradores nas calçadas do residencial, a maioria deles comerciantes que abriram um negócio para suprir a carência de padarias, mercados, açougues no local. O conjunto é afastado da cidade e os residentes precisam percorrer longas distâncias para acessar tais serviços.

Durante a reintegração, outros moradores que não eram comerciantes ou donos das pequenas lojas aproveitaram para saquear produtos dos comércios, fazendo vendedores de gás, donos de drogarias e papelarias entrarem em desespero. O mandado de cumprimento no Viver Melhor foi emitido pelo juiz Leonel Siglioulo Harraquian, da 2ª Vara de Fazenda Pública do TJ-AM.

Publicidade
Publicidade