Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia deve cumprir mais 75 mandados por não pagamento de pensão alimentícia, em Manaus

Ação deteve 25 homens nesta segunda (13) e deve cumprir mais 75 até sexta-feira (17), segundo a PC. Recusa para quitar obrigação e falta de emprego caracterizam a inadimplência por parte dos pais, informou delegado 14/10/2014 às 16:52
Show 1
Polícia executou mandados judiciais de homens que não pagavam pensão aos filhos
OSWALDO NETO* Manaus (AM)

Mais 75 mandados de prisão referentes ao não pagamento de pensão alimentícia devem ser cumpridos até esta sexta-feira (17), conforme informou a Delegacia Especializada em Capturas Polinter. A operação denominada "Pensão Alimentícia", deflagrada nesta segunda (13), já deteve 25 homens que descumpriram a determinação da Justiça. Seis deles foram liberados, segundo a Polícia Civil do Amazonas.

O delegado titular da Polinter, Carlos Alberto Alencar, explica que os motivos da inadimplência variam de falta de emprego, recusa para quitar a obrigação por parte dos pais ou até mesmo pelo fato das mães não efetuarem uma denúncia. A ação, ainda segundo a Polícia Civil, também visa deter mulheres que se encontram em situação de dívida.

“Vale ressaltar que não são ‘infratores’ e sim devedores de pensão alimentícia. O mandado de prisão tem como objetivo fazer com que a pessoa pague o que deve, e não com que seja presa. Toda vez que for preciso equilibrar a demanda de denúncias de pensão alimentícia, iremos realizar esse tipo de ação”, informou o órgão.

Nesta segunda-feira, 25 homens foram detidos por descumprirem a norma, sendo que seis deles foram soltos por já terem pago a dívida. Os suspeitos têm prazo de 30 a 90 dias para efetuar o pagamento do valor em atraso na Justiça das pensões e serem liberados mas, caso a dívida não seja efetivada no período, o prazo poderá ser prorrogado e o devedor continuará preso.

Até sexta-feira, a expectativa é que, ao todo, 100 mandados de prisão sejam cumpridos. Os procedimentos legais, como exame de corpo de delito e oitivas, serão realizados pelas equipes da Polícia Civil. Todos os suspeitos são encaminhados a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro. 

*Colaborou a repórter Perla Soares

Publicidade
Publicidade