Publicidade
Manaus
DESAPARECIDO

Polícia espera que motorista que atropelou e matou sargento da PM se apresente hoje

Uma missa de Sétimo Dia será realizada nesta quinta (15) em homenagem ao sargento da PM, Sérgio Ramos, que morreu no último 8 de fevereiro 15/02/2018 às 07:05 - Atualizado em 15/02/2018 às 11:15
Show sargento 2
Na última sexta-feira (9), o corpo do policial foi velado e enterrado (Foto: Winnetou Almeida)
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Nesta quinta-feira (15), às 18h, no oratório do Quartel da Polícia Militar, Zona Sul de Manaus, ocorrerá a missa de Sétimo Dia do sargento da Polícia Militar Sérgio Ramos, 49, morto no dia 8 deste mês após ser atropelado por um motorista de uma BMW na avenida Santos Dummont, bairro Tarumã, Zona Oeste. O principal suspeito de ser o condutor no momento do acidente é o empresário Clóvis de Oliveira Maia Filho, que até o momento ainda não se apresentou na Polícia Civil.

Na última sexta-feira (9), o delegado Luís Humberto, titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT), informou que o condutor seria apresentado pelo advogado na manhã desta quinta-feira. Segundo o delegado, buscas foram feitas com intuito de localizar o empresário, mas não houve sucesso. “O advogado dele entrou em contato e disse que iria apresentar o condutor da BMW na quinta-feira”, afirmou Humberto, no dia 9 deste mês.

A filha do policial militar, a estudante de jornalismo Rebeca Beatriz, de 25 anos, lamentou a postura do condutor de até o momento não ter se apresentado na polícia. “É complicado isso”, resumiu ela. A universitária contou que o pai mantinha uma relação de muito amor com toda a família, principalmente com os três filhos. Segundo ela, o que conforta a família é que todos tinham bom relacionamento com ele.

“Agora só nos resta seguir em frente. O que me conforta é saber que vivi com ele de uma forma muito boa, me conforta lembrar do nosso bom relacionamento no dia a dia. Eu sou estudante de jornalismo e isso foi o gosto que dei pra ele. Tivemos muitos momentos bons e agora só o que vai ficar são as nossas  lembranças”, desabafou a filha do PM.

 O PM seguia pra um funeral de um colega de farda, no cemitério Parque Tarumã, onde iria participar juntamente com a banda da PM, entretanto morreu ao colidir com a BMW. A reportagem procurou o delegado Luís Humberto para obter novas informações, mas o mesmo deve se pronunciar sobre o caso somente nesta quinta-feira (15).

Publicidade
Publicidade