Publicidade
Manaus
Má conduta

Polícia Militar instaura sindicância para apurar suposto desacato de coronel

Militar teria desacatado a guarnição da 2ª Cicom durante uma abordagem. Diretor da Diretoria de Justiça e Disciplina da PM diz que coronel estava sob efeito de bebida alcoólica. Atitude pode levar à demissão do coronel 21/07/2016 às 14:55 - Atualizado em 26/07/2016 às 01:41
Show coronel
Coronel teria desacatado policiais militares da 2ª Cicom (Foto: Reprodução)
Fábio Oliveira Manaus (AM)

A Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da Polícia Militar instaurou uma sindicância para investigar a conduta do tenente-coronel da reserva, Evandro Bernardo de Souza, após ele ser abordado por policiais militares da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, o fato ocorreu próximo à Feira da Panair, no Educandos, Zona Sul, na madrugada de terça-feira (19). O diretor do DJD, coronel Hidelberto Santos, afirmou, por telefone, que o militar da reserva desacatou a guarnição da 2ª Cicom, durante uma abordagem rotineira.

Os próprios militares da guarnição da 2ª Cicom registraram o caso em vídeos, que foram divulgados em redes sociais. Em um deles é possível ouvir o coronel Evandro dizendo que a abordagem estava errada e que iria prender os soldados e o tenente da guarnição.

Em outro vídeo, um soldado explica a abordagem. “Eu dei luz alta, liguei a sirene e o senhor não parou. Bati no seu vidro com a arma em posição sul (com o cano da arma apontado para baixo), eu só fiz o procedimento correto”, disse um soldado. Após parada, os militares fizeram revista no carro e o coronel não gostou da atitude.

Segundo o diretor do DJD, o coronel Evandro Bernardo estava visivelmente sob efeito de bebida alcoólica e que o caso foi encaminhado para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

“Foi registrado um TCO de desacato na delegacia”, afirmou o coronel Hidelberto Santos. Segundo o delegado Jorge Pontes, titular do 1º DIP, na delegacia o coronel registrou um BO sobre a abordagem.

Segundo Jorge Pontes, a guarnição fez uma revista no carro do coronel, mas nada foi encontrado. Na delegacia, o militar informou que dois cartões sumiram, porém ele não acusou a guarnição.

Punição

Segundo o diretor do DJD, Hidelberto Santos, caso seja constatada a má conduta do coronel, o mesmo poderá ser punido com advertência e, dependendo da gravidade, com a demissão da Corporação.Reprodução/internetEm vídeo, coronel diz que a abordagem estava errada e que iria prender os soldados

Publicidade
Publicidade