Publicidade
Manaus
DUPLO HOMICÍDIO

Polícia prende assassino de tia e sobrinho que tiveram cabeças esmagadas em Manaus

O homem, identificado apenas como “Ângelo”, foi capturado em Presidente Figueiredo. As duas vítimas foram brutalmente assassinadas 15/12/2018 às 15:22 - Atualizado em 15/12/2018 às 16:01
Show 58 86733ba0 4b7b 4373 943c 39378a3e76fe
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Joana Queiroz Manaus (AM)

A polícia já prendeu o assassino da tia e do sobrinho encontrados mortos no último dia 4 de dezembro com as cabeças esmagadas dentro de casa, no conjunto Hileia, bairro Planalto, na Zona Centro-Oeste de Manaus. As duas vítimas, a idosa Arlete Almeida, 70, e o vendedor Alexsandro Matheus Araújo de Lima, 31, foram achados despidos e com violentas marcas de agressão no chão dos banheiros da residência.

O suspeito do crime foi identificado apenas como “Ângelo” por pessoas que o reconheceram pelas imagens das câmeras de segurança que foram divulgadas na imprensa pela polícia (assista aqui). De acordo com informações de policiais, “Ângelo” foi preso no município de Presidente Figueiredo, distante 117 quilômetros de Manaus, na região metropolitana da capital.

O delegado Orlando Amaral, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), não quis falar sobre a prisão e afirmou que só divulgará mais informações na segunda-feira (17), quando houver uma coletiva de imprensa. Até então, a polícia havia confirmado que o crime não se tratava de latrocínio, mas tinha motivações passionais, e que a idosa foi morta “por estar no local e hora errada”.

Brutalmente assassinados

No dia em que as vítimas foram achadas mortas, a polícia informou que a residência não havia sido arrombada, e que o assassino supostamente teria tido acesso à casa. “É passional. O suspeito que matou tinha relação com a vítima”, disse o secretário de Segurança Pública, coronel Amadeu Soares. Na última terça (11), o delegado Orlando Amaral disse que houve um latrocínio simulado no crime. “O assassino levou alguns objetos para caracterizar latrocínio”, explicou Amaral.

Um relatório do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) que o Portal A Crítica teve acesso mostrou que a idosa de 70 anos, além de ter tido a cabeça esmagada e esfaqueada várias vezes, levou uma tesourada na testa. As duas vítimas foram encontradas por um colega de trabalho de Alexsandro, que foi até o imóvel após desconfiar da ausência dele no expediente.

Relação de mãe e filho

Além de vendedor, Alexsandro estudava na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Ele era muito vaidoso e foi criado pela tia desde criança, quem considerava como mãe. Arlete era evangélica e muito conhecida no conjunto. “Eram queridos. Ele e minha tia eram doces, todos gostavam deles e não tinham como ter inimigos”, disse Rejane Araújo de Lima, 41, irmã de Alexsandro e sobrinha de Arlete durante o velório das vítimas. Segundo ela, Alexandro não estava em um relacionamento sério.

Esse foi o segundo crime macabro que aconteceu na casa. De acordo com outra irmã de Alexsandro, Marizete Araújo, no imóvel ocorreu o latrocínio do avô do vendedor, que foi degolado com um fio de ventilador. A casa é uma das poucas da rua Dez do Hileia que não possui monitoramento próprio.

Publicidade
Publicidade