Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia prende homem acusado de matar por causa de aparelho de ar condicionado roubado

Um usuário de drogas roubou um ar condicionado da vítima e entregou objeto a um receptador. A vítima descobriu e quis cobrar o aparelho de volta, mas foi morta 06/11/2015 às 15:22
Show 1
Alex apresentou certidão falsa na delegacia, mas foi descoberto
VINICIUS LEAL E JOANA QUEIROZ Manaus

Alex Trindade Montanha, de 20 anos, foi preso em Manaus acusado de matar, em maio deste ano, Francisco Edgar de Souza Bezerra, de 35 anos. O motivo do crime seria o roubo de um aparelho de ar condicionado.

Alex foi preso por policiais militares da 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Ele foi abordado na noite de ontem, na av. Brasil, Compensa, Zona Oeste, e na delegacia apresentou uma certidão de nascimento falsa com nome de Alex da Silva Trindade.

Os policiais descobriram o nome verdadeiro e verificaram que ele era procurado pela Justiça por cometer homicídio e também respondia a outro crime de adulteração de sinal identificador de veículo.

O crime

A vítima, Francisco Edgar, foi morta em maio deste ano na rua Areal, beco São Francisco, comunidade Parque Mauá, bairro Mauazinho, Zona Leste da cidade. Segundo a polícia e conforme o depoimento de Alex, o motivo do assassinato seria um roubo de um aparelho de ar condicionado.

No dia do crime, Alex foi até a casa de Francisco, o chamou para uma conversa, mas a vítima recusou. Logo depois, Francisco saiu de casa para comprar cigarro e, na rua, foi abordado por Alex e um comparsa. Alex se aproximou e atirou duas vezes, na coxa e na lombar de Francisco, que não resistiu.

De acordo com o delegado Ivo Martins, da Delegacia de Homicídios e Sequestros (DEHS), um usuário de drogas teria roubado um aparelho de ar condicionado da casa de Francisco, e entregado o objeto para Montanha como pagamento por uma dívida de drogas. Francisco teria procurado Montanha para que ele devolvesse o objeto, mas os dois se desentenderam.

De acordo com Alex, Francisco vinha fazendo ameaças e, certa vez, tentou matá-lo jogando um carro para cima da motocicleta onde estava Alex, a esposa dele e sua filha de 8 meses de idade. Alex confessou o crime e disse que fez isso para se defender das ameaças e tentativas de morte feitas por Francisco.

Além dos crimes de adulteração de sinal identificador de veículo e do homicídio de Francisco (homicídio qualificado por motivo fútil), Alex também tem três passagens por tráfico de drogas e outro homicídio e mais infrações de roubo e sequestro que cometeu quando era adolescente.

Publicidade
Publicidade