Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020
ALERTA

Policiais civis prometem greve a partir de 5 de abril caso governo não atenda categoria

De acordo com o presidente do sindicato, "categoria em massa" vai aderir à paralisação. Sindicato afirma que aguarda ainda aguarda posicionamento do Governo sobre as reivindicações



show_Pol_cia_Civil.jpg Foto: Arquivo/AC
26/03/2018 às 17:07

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-AM) prometeu deflagrar greve até o dia 5 de abril caso o governo não atenda as reivindicações da categoria. "Está tudo nos planos ir em frente com essa greve", disse o presidente do Sinpol, Moacir Maia. 

Conforme Maia, o grupo tinha tinha uma reunião marcada com o vice-governador e secretário de segurança pública do Estado, Bosco Saraiva, na tarde desta segunda-feira (26), no entanto, o encontro não aconteceu.



Ele afirma que a conversa seria sobre as negociações para que as reivindicações da classe sejam atendidas. Ainda no aguardo de uma contraproposta, a categoria, agora, ameaça deflagrar greve no dia 5 de abril se não houver uma negociação aberta com o Estado.

Os policiais civis reivindicam a reetruturação da carreira dos policiais, investigadores e escrivãos. Com a ausência de contraproposta do governo, o sindicato se baseia em seu próprio estatuto para entrar em comando de greve. A deflagração acontece 10 dias após uma convocação geral.

"Nosso estatuto prevê 10 dias de uma espécie de aviso prévio para a classe antes de darmos início a uma greve. Hoje não tivemos a reunião que esperávamos e, por isso, já convocamos a categoria para o dia 5 de abril", explicou o presidente do Sinpol, Moacir Maia.

Contando, a partir desta segunda-feira, são exatos 10 dias para a instauração da greve que, se acontecer, se dará numa quinta-feira. 

"Está tudo nos planos ir em frente com essa greve. A adesão é da categoria em massa", destacou Maia.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.