Publicidade
Manaus
Manaus

Policiais civis são afastados do 1º DIP acusados de extorsão

Escuta telefônica do Departamento de Repreensão ao Crime Organizado (DRCO) descobriu que os policiais extorquiam R$ 25 mil de traficantes 13/03/2015 às 19:04
Show 1
Os policiais do 1º DIP teriam extorquido R$ 25 mil de traficantes
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O chefe de investigação do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) Altair Deivid Gadelha, 33 anos, o motorista Pahablo Henrique Rego, 29, além do investigador Jessé Vieira dos Santos estão afastados temporariamente dos cargos por suspeita de tentarem extorquir R$ 25 mil de dois supostos traficantes de drogas, identificados apenas como Moisés e Aldeney.

Eles foram detidos no Jorge Teixeiera, Zona Leste, nas proximidades da rotarória do Produtor, por uma equipe do Departamento de Repreensão ao Crime Organizado (DRCO), no momento em que iriam receber a quantia.

De acordo com o delegado geral adjunto, Raimundo Acioly, o crime praticado pelos policiais foi descoberto por coincidência, após escutas telefônicas. “A equipe da DRCO estava investigando os traficantes e houve um cruzamento nas ligações envolvendo os policiais civis do 1º DIP e, com as escutas, o delegado Rafael Allemand conseguiu detê-los na Bola do Produtor”, explicou o delegado geral adjunto, ao afirmar que o trio de policiais não foi preso e sim apenas afastados dos cargos.

A escuta telefônica revelou que os policiais civis tinham prendido um traficante e sua companheira no bairro Santa Etelvina, na Zona Norte. O trio teria exigido a quantia de R$ 25 mil para que ele fosse liberado. Em seguida, foram atrás de outro traficante que, mais tarde, foi preso no Ramal do Brasileirinho, na Zona Norte.

De acordo com a Polícia Civil, o delegado do 19º DIP, responsável pela investigação, entendeu que não havia indícios para que fosse feita a prisão em flagrante dos três.

Apenas o chefe de investigação Altair Deivid e o motorista Pahablo Henrique prestaram depoimento na Delegacia Geral, no Dom Pedro, e foram liberados. Segundo a assessoria de imprensa, eles foram indiciados pelos crimes de extorsão mediante a sequestro e vão responder pelo crime em liberdade.

Eles tiveram as armas recolhidas e estão afastados de suas funções. Já o investigador Jessé Vieira está foragido e ainda não se apresentou para depor na delegacia.

Segundo a polícia, Jessé estava com o trio na rotatória do Produtor e ainda chegou a ser conduzido à sede da DRCO, mas, conseguiu sair sem ser visto. O delegado Raimundo Acioly disse que ele não fugiu e sim se evadiu da delegacia.

O delegado geral, Orlando Amaral, afirmou que há indícios contra os policiais, mas que o inquérito policial vai continuar e eles serão investigados. Contou também que, se tiver que emitir um mandado de prisão contra eles, o documento será exigido da Justiça. “Eles já estão afastados e a investigação vai continuar. Se tiverem que ser presos, vão ser presos”, afirmou Amaral.


Publicidade
Publicidade