Sábado, 18 de Setembro de 2021
caso do grande vitória

Policiais envolvidos em desaparecimento de jovens são novamente ouvidos

A Crítica teve acesso aos nomes dos 10 militares, que estão presos desde a última terça-feira (8). Eles são alvos de uma investigação da DEHS e dois procedimentos na DJD da PM



asdasdasdasd.JPG Os 10 policiais são lotados na 4ª Cicom. Foto: Gilson Mello/Freelancer
10/11/2016 às 05:00

Os dez policiais militares da 4ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), localizada no bairro Grande Vitória, na Zona Leste, suspeitos de envolvimento no desaparecimento dos jovens Alex Júlio  Roque de Melo, 25, Rita de Cássia Castro da Silva, 19, e Weverton Marinho, 20, vão ser ouvidos novamente, nesta quinta-feira (10), na Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da Polícia Militar. 

A Crítica apurou que além do aspirante Luiz Ramos, os outros PMs envolvidos no desaparecimento são o aspirante Fabiano Alves, o sargento Ribeiro Costa, os cabos Alterly, Isaac Silva, Cortez Costa, e os soldados Cleydson, Telmo Filho, Denilson Correa e Eldeson.



De acordo com o diretor da DJD, Hildeberto Santos, os policiais serão ouvidos para dar andamento a dois procedimentos que estão em curso ao mesmo tempo dentro da corporação: o Inquérito Policial Militar, que apura a existência do crime militar, e uma sindicância, que é um procedimento administrativo. No entanto, o diretor não adiantou detalhes sobre os procedimentos.

Os policiais estão presos temporariamente desde a última terça-feira, quando a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriu os mandados de prisão e busca e apreensão. “As nossas investigações estão em curso, junto com o trabalho que está sendo feito pela Polícia Civil. Estamos compartilhando informações, mas ainda é cedo para falar se haverá necessidade de postergar esse prazo por mais cinco ou a conversão da prisão temporária em preventiva”, explicou o coronel. 

Segundo Hildeberto, dois aspirantes a oficial estão presos no Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), na Zona Sul, enquanto os demais militares (dois sargentos, dois cabos e quatro soldados) estão presos no Núcleo Prisional da Polícia Militar, no Monte das Oliveiras, na Zona Norte. 

Apesar da grande repercussão que o caso ganhou nas duas últimas semanas, nenhum do desaparecidos foi localizada até o momento. A Polícia Civil acredita que os três estão mortos. 

Colaborou: Joana Queiroz


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.