Publicidade
Manaus
DESTAQUE

Policiais que atuaram em assalto com reféns na Zona Leste são homenageados

Os quatro homens que participaram do assalto com reféns foram mortos após usarem "escudo" humano para fugir e efetuarem disparos 17/10/2018 às 15:47 - Atualizado em 17/10/2018 às 16:14
Show homenagem 123 799e281a 4f73 46b3 904b d925e81c9ff4
Foto: Euzivaldo Queiroz
Priscila Rosas Manaus (AM)

Os cem policiais que atuaram na libertação de reféns do assalto frustrado na casa lotérica Circular, na Avenida Grande Circular, bairro São José, Zona Leste de Manaus, no último sábado (13), receberam uma condecoração na manhã desta quarta-feira (17) no auditório do Corpo de Bombeiros, localizado na Avenida Codajás, Cachoeirinha, Zona Sul.

Estavam presentes policiais militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), Comando de Operações Especiais (COE) e da 9ª Companhia Interativa Comunitária da Polícia Militar (9ª Cicom) e da Força Especial Resgate e Assalto (Fera) da Polícia Civil.  

Estavam presentes na solenidade o Governador Amazonino Mendes, o Coronel Mauro Marcelo Lima Freire, Comandante do Corpo de Bombeiros; Frederico Mendes, Delegado Geral da Polícia Civil; tenente-coronel Cleitman Coelho, Secretário de Estado de Administração Penitenciária; o Delegado Pablo Oliva, diretor da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal – Direção Regional do Amazonas (ADPF- AM); o Secretário de Estado Extraordinário Walter Cruz e o Comandante Geral da Polícia Militar, José Claudio Nonato da Silva.

Segundo o comandante geral da Polícia Militar, Claudio Silva, a ocorrência demandou uma doutrina de gerenciamento de crise. Ele elogiou a coragem dos policiais em uma situação assim que, segundo ele, foi inédita no Estado. “Eles permaneceram firmes e nenhum desistiu. Gostaria de enaltecer a coragem de cada um. Sozinho ninguém faz nada”, disse. Ele destacou também o fato de os reféns terem saído com integridade física mantida.

O secretário de Segurança Pública, Amadeu Soares, explicou que uma medalha dessas significa muito na vida de um policial, sendo assim, deixando claro o reconhecimento da tropa que atuou no local. “Nós estamos operando dentro dos bairros para tentar minimizar essas ações cada vez mais. Utilizaremos cada vez mais a inteligência para mitigar isso. Também avançando bastante no processo de treinamento e aquisição da tecnologia para que possamos nos antecipar aos fatos”, fala. 

O governador Amazonino Mendes disse, em discurso, que a luta contra a criminalidade se expande e que é gigantesca. Também afirmou estar orgulhoso da atuação das polícias. “Nós temos parte da polícia, sim, que está estruturada, bem organizada e capaz de enfrentar o crime”, destacou.

Relembre o caso 

O assalto à loteria Circular teve início por volta das 13h e foi atendida inicialmente por policiais militares da 9ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) da Polícia Militar, que estava em patrulhamento na área.

O grupo criminoso estava com duas espingardas calibre 12, um revólver calibre 38 e uma pistola. Quatro integrantes da quadrilha entraram no estabelecimento e, do lado de fora, dando cobertura, Valdemir Lima de Pala Rodrigues, 28, trocou tiros com os policiais e logo se entregou.

De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Amadeu Soares, que acompanhou a ação e intermediou as negociações, os infratores demonstravam estar sob efeito de drogas. “Eles ainda chegaram a pedir drogas e carros para deixarem o local”, declarou, ressaltando que a advogada e familiares de alguns deles estiveram no lugar da ocorrência e que, durante as negociações, 12 reféns foram liberados e pelo menos outros 12 continuaram confinados dentro do estabelecimento.

Após quase três horas confinados na loteria, os quatro infratores decidiram sair com os reféns e com malotes de dinheiro. “Eles tomaram a decisão de sair. Montaram escudo humano e ganharam a rua. A polícia foi criteriosa, não efetuou disparos. Eles atiraram na polícia diversas vezes. Por conta da população que estava na rua, foi verificado o momento mais seguro para o disparo. Os reféns foram todos para o chão. Eles continuaram agredindo e os policiais responderam”, disse o secretário Amadeu Soares.

Publicidade
Publicidade